José Manuel Lopes abriu a porta de casa, em Guidões, para contar, em conjunto com o amigo Cunha da Silva, como foram vividos os momentos pré e pós Revolução de Abril na Trofa.

Corria o ano de 1958, em pleno período eleitoral. A 8 de junho as urnas eram abertas para que a população elegesse o próximo Presidente da República. Américo Tomás, anterior ministro dos Assuntos Navais do Governo de António Oliveira Salazar, e Humberto Delgado, candidato independente apoiado pela oposição democrática, iam a sufrágio. Para muitos portugueses, esta era a oportunidade para derrubar o regime.

Leia a notícia completa na edição papel nº668 de O Notícias da Trofa.