“Até aos três ou quatro anos deve usar a cadeirinha virada para trás, uma vez que, em caso de acidente, pode salvar a vida de nove em cada dez crianças”. Esta foi uma das recomendações dada pelas enfermeira do ACeS – Agrupamento dos Centros de Saúde de Santo Tirso/Trofa, durante uma sessão na Escola Básica e Jardim de Infância de Finzes, que se realizou na tarde de 5 de junho.

A sessão, que contou com a presença de um elemento da Guarda Nacional Republicana, está inserida no projeto “Crescer em Segurança” que o ACeS tem desenvolvido com o objetivo de “promover o uso mais sistemático e consistente do sistema de retenção do transporte de crianças e jovens”, segundo contou a enfermeira Elsa Silva.

A enfermeira salientou que a ausência do sistema de retenção do transporte de crianças e jovens é “a principal causa de morte e de lesão temporária ou permanente na idade pediátrica, ou seja, dos zero aos 18 anos”. “De vez em quando, (os pais) estão dispersos para a gravidade e para o risco sem um sistema de retenção devidamente adequado ao peso e à altura da criança, devidamente usado segundo as instruções do fabricante. Ficam iludidos com pequenos trajetos e é nesses trajetos que os acidentes graves ocorrem”, salientou.

O projeto promove essencialmente “a segurança infantil nas várias vertentes”, como “nos afogamentos”, situações de “insolações com o tempo quente” ou o facto de “uma criança não poder ficar fechada num carro nem por pouco tempo que seja pois corre o risco de asfixia e desidratação grave”. Elsa Silva contou ainda que o projeto “vai crescer” funcionando “muito no âmbito comunitário”.