Rota-dos-Romanos---ADAPTA-1

“Rota dos Romanos” levou “71 caminheiros” a percorrerem “nove quilómetros” na manhã de domingo, 13 de outubro.

A chuva que caiu durante toda a manhã de domingo, não impediu que “71 caminheiros” percorressem a “Rota dos Romanos”, num percurso de “sensivelmente nove quilómetros, efetuados em três horas”.

Durante a caminhada, organizada pela ADAPTA – Associação para a Defesa do Ambiente e do Património na Região da Trofa, os caminheiros puderam “apreciar paisagens agrícolas e florestais de grande importância para o concelho”, bem como “conhecer um pouco do concelho” e “ver e ouvir” as explicações que foram dadas por Avelino Moreira da Silva, docente de História na Escola Secundária da Trofa, relativamente à Rota dos Romanos, que originou o nome da atividade.

O presidente da associação, Pedro Daniel Costa, afirmou que “um dos objetivos” deste tipo de atividades é “consciencializar as pessoas para a existência destes locais e alertar os mesmos para a preservação e vigilância deste património ambiental e construído”.

Na caminhada, que contou também com visitantes de “Santo Tirso e Maia”, foi possível visitar os jardins da Quinta do Paiço, “gentilmente aberta”, e admirar “o marco milear” que se encontra na Quinta e “o frondoso Liriodendro (Tulipeiro) que já habita na Quinta há 300 anos, que foi alvo de muitas fotos por parte das pessoas”. “Constatou-se uma grande admiração por este exemplar”, denotou.

Da Quinta do Paiço o grupo seguiu para a Estação Arqueológica de Alvarelhos, conhecida como Castro de Alvarelhos. “Monumento que ainda passava despercebido a um grande número de participantes”, salientou.

Apesar das “condições meteorológicas não serem das mais agradáveis”, Pedro Daniel Costa fez um balanço “bastante positivo” desta caminhada.