Select Page

“24 Horas da poesia” em Santo Tirso

“24 Horas da poesia” em Santo Tirso

21 de Março, 10h30. As portas dos conventos abrem-se e os poetas, em retiro desde o passado dia 17 de Março, abandonam a clausura. Foram as "24 Horas de Poesia" que decorreram ontem, assinalando o Dia Mundial da Poesia e, simultaneamente, o culminar da iniciativa "A POESIA ESTÁ NA RUA", organizada há quatro anos consecutivos pela Câmara Municipal de Santo Tirso. Mosteiros das Clarissas, da Visitação, de Santa Escolástica e de Singeverga constituíram o "Roteiro dos Mosteiros" e preencheram esta maratona da poesia, este ano dedicada ao tema "A Fé na Poesia". Versos e poesia entoaram e caracterizaram a iniciativa. 

No Mosteiro das Clarissas, Ivo Machado e Daniel Maia-Pinto Rodrigues surpreenderam com os seus poemas, fruto de uma semana de retiro conventual. Num momento único, o poeta Ivo Machado, que não escrevia há um mês, confessou que a sua maior preocupação ao aceitar este desafio era "a passagem das horas". Esta semana, passada na companhia das irmãs Clarissas, deu-lhe a inspiração que necessitava para "não conseguir parar de escrever". Aproveitando a oportunidade, leu um dos poemas que criou durante o seu tempo de clausura – "Electrocardialma". "Dívida ou dádiva, compreendo que nunca estive ou estarei só", explica o poeta referindo-se ao período em que viveu no isolamento. Daniel Maia-Pinto Rodrigues, muito emocionado, louvou a iniciativa, mencionando que "superou qualquer expectativa". Publicamente, apresentou um excerto de um conto de 26 páginas que escreveu durante a sua estada no Mosteiro das Clarissas. Ainda na Capela de S. José, também a irmã Albertina declamou alguns versos.  Poetas em CLausura falam das suas experiências

A maratona continuou, desta vez no Mosteiro da Visitação. Ivo Machado, Daniel Maia-Pinto Rodrigues, Dr. Guerra, Professor Sousa e o Presidente da Câmara, Castro Fernandes, brindaram o acolhimento das irmãs com declamação de poesia. Pelas 15h30, as "24 Horas de Poesia" passavam pelo Mosteiro das Escolásticas. "É muito belo ser beneditina e viver todos os dias no meio de salmos" afirmou Maria João Reynaud, que aqui se encontrou em retiro conventual, juntamente com Ana Luísa Amaral. Apesar da ausência da última, o seu nome não foi esquecido, tendo mesmo sido apresentado um poema que escreveu no momento que em que se encontrava no Mosteiro. Mais versos e poemas fizeram-se entoar pelo Mosteiro. No seguimento das declamações, as tradicionais bolachas produzidas monjas beneditinas e um chá foram servidos a todos aqueles que acompanharam esta celebração da poesia. 

A última etapa neste programa das "24 horas de poesia" foi o Mosteiro de Singeverga que dava assim por concluído a visita da poesia pelo "Roteiro dos Mosteiros". Depois de uma explicação e contextualização sobre a história do mosteiro e dos seus monges, vida e obra do poeta Daniel Faria foram relembrados e assinalados. Também Fernando Echevarria e Aurelino Costa, em clausura neste mosteiro, prestaram o seu voto de distinção pelo poeta. Para além do recital de poesia, em honra a Daniel Faria, os monges prosseguiram para a oração de Véspera e Canto dos Salmos. Um momento solene, de pura introspecção e que resumia todo o contexto e conceito desta iniciativa.  

Um jantar de convívio completou as "24 horas de poesia" e assinalava o final de mais uma edição de "A POESIA ESTÁ NA RUA", que contou este ano com a participação de vários poetas que se disponibilizaram a submeter-se a um retiro conventual, partilhando o seu testemunho publicamente. No final ficou a possibilidade de edição de um livro que reunirá todos os poemas escritos pelos poetas em clausura. 

"Roteiro" dos Mosteiros  
 

Mosteiro das Clarissas – Vila das Aves

Situado no lugar da Carreira, em Vila das Aves, encontramos o Mosteiro de São José das Clarissas Adoradoras ou, simplesmente, Mosteiro das Clarissas. Fundado em 1964, este mosteiro foi reconstruído em 1986. De salientar a capela com dedicação a São José. Implantado numa zona de intensa vida laboral, junto a outra comunidade contemplativa, o Mosteiro é uma presença orante, afirmação da vida teológica. 

Mosteiro da Visitação – Vila das Aves

O Mosteiro da Ordem da Visitação da Virgem Santa Maria foi fundado por José Maria de Almeida Garrett da Quinta da Carreira em 1887. Situado em Vila das Aves, foi confiscado em 1911. Há cerca de três décadas sofreu obras de melhoramentos e, em 1987, comemorou o centenário da fundação do Mosteiro. O padroeiro da Ordem da Visitação de Santa Maria é S. Francisco de Sales, o santo padroeiro dos jornalistas. 

Mosteiro de Santa Escolástica – Roriz

Este moderno edifício alberga uma Comunidade Religiosa de Santa Escolástica constituída por freiras que, para além do recolhimento, se dedicam ao fabrico de doçarias. O edifício, fundado em 1935, é caracterizado por uma arquitectura tipicamente novecentista. O convento apresenta actualmente 19 irmãs, cuja correcta designação é monjas beneditinas da Rainha dos Apóstolos.  

Mosteiro de Singeverga – Roriz

Relativamente recente e grandioso é o mosteiro de Singeverga, dos frades beneditinos, cujas instalações datam de 1892 tendo, contudo, sido restaurado em meados do século XX. No seu interior conserva-se um valioso espólio de arte sacra, como a píxide de prata dourada e lavrada, decorada com finas peças preciosas, e de colecções de arte africana ou borboletas. Ainda proveniente deste mosteiro é uma custódia em prata dourada e pedraria, setecentista. Na sala do capítulo, destaque para uma imagem de São Bento em madeira policromada, seiscentista. Não muito longe deste, existe um seminário em cujos anexos se produz o famoso licor de Singeverga. 

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização