Grupos folclóricos de várias regiões portuguesas, atuaram no sábado, dia 16 de junho, no 21º Festival Etnofolclórico “Lavradeiras 2012”. O Parque de Nossa Senhora das Dores acolheu o evento.

S. Pedro aliou-se ao Rancho das Lavradeiras da Trofa e intervalou os chuveiros de sábado, 16 de junho, para animar o final do dia com um “maravilhoso” 21º Festival Etnofolclórico “Lavradeiras 2012”. As atuações dos vários grupos folclóricos de diversas regiões do País transformaram a noite numa das “mais marcantes do folclore da Trofa”, contou Luís Elias, presidente do Rancho das Lavradeiras da Trofa ao NT. “Memorável” segundo o presidente do grupo, que frisou estar perante mais um “êxito” e um “momento alto da época”. 

Cinco grupos, entre eles o organizador, atuaram a partir das 21.30 horas no Parque de Nossa Senhora das Dores e fizeram soar música tradicional portuguesa pela noite fora. O Rancho Folclórico da Casa do Povo de Glória do Ribatejo, o Rancho Folclórico e Etnográfico de Santa Maria de Cárquere, o Rancho Típico da Amorosa, o Grupo de Danças e Cantares Besclore e, claro, o Rancho das Lavradeiras juntaram-se para reforçar um “elevado nível do panorama do folclore português”, afirmou Luís Elias. “Valeu a pena o esforço, valeu a pena o trabalho e é uma sensação de satisfação enorme pela forma como tudo decorreu”, sublinhou durante a última atuação da noite.

Questionado sobre a opção de convidar grupos de várias regiões distantes da Trofa, tal como o Grupo de Danças e Cantares Besclore de Lisboa, Luís Elias explicou tratar-se de uma forma de “conhecer outras realidades”. “Fazemos sempre uma opção por grupos de diversas regiões do País e, se possível, de alguma distância da Trofa, porque se trouxermos grupos da proximidade as pessoas já viram ou já conhecem o folclore”, esclareceu.

O Rancho das Lavradeiras da Trofa, que emprestou o nome para dar título ao festival, ruma em direção a Aveiro, este fim de semana, e, para terminar esta época “recheada”, atendem ainda um convite do Grupo de Danças e Cantares Besclore, que comemora o 25º aniversário.

O Folclore “hoje” na Trofa

“Eu diria que vai bem”, assegurou Luís Elias, em relação ao estado atual do folclore na Trofa. “Pode dizer-se que a Trofa é uma das localidades em que o folclore está vivo, está ativo e tem qualidade”, acentuou o presidente do Rancho das Lavradeiras, referindo que, recentemente, mais dois grupos folclóricos “nasceram” no concelho. 

Quanto aos quatro grupos trofenses federados, – o Etnográfico de Santiago de Bougado, Danças e Cantares de Santiago de Bougado, o Rancho Folclórico da Trofa e o Rancho das Lavradeiras da Trofa, o representante do grupo descreveu-se orgulhoso: “A Trofa é uma terra de referência do folclore”.

Stefanie Correia

{fcomment}