pobreza

A 17 de outubro celebra-se o Dia Mundial da Erradicação da Pobreza. Em Portugal o dia comemora-se com o intuito de alertar a população portuguesa que os índices de pobreza têm vindo a aumentar nos últimos anos.

Os números são assombrosos em todo o país e a Trofa não escapa, enquadrando-se “perfeitamente” na realidade nacional. As várias instituições solidárias, nomeadamente, a delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP), que atua nos apoios de emergência alimentar, em excedentes alimentares, em vestuário e calçado, na cantina social “Porta dos Sabores” e ainda na distribuição de alimentos às famílias mais carenciadas do concelho, tem denotado um aumento considerável na procura destes apoios por parte da população trofense. Segundo os dados de atuação da CVP da Trofa o número “de pessoas a solicitar apoios de emergência alimentar” aumentou, tendo sido distribuídos, até ao final de setembro de 2015, quase 7500 alimentos. Os números cresceram significativamente em relação ao ano transato verificando-se um aumento de refeições servidas na cantina social, face a período homólogo de 2014, em cerca de mais 350 refeições, ou seja, em média, mais 38 refeições por mês. Até final de setembro a “Porta dos Sabores” da CVP da Trofa serviu cerca de 8834 refeições. No que toca ao apoio de vestuário e calçado, os valores mantém-se semelhantes a 2014, tendo sido apoiadas até à data 361 famílias. A CVP da Trofa concluiu que o número de famílias carenciadas tem vindo a aumentar e que apenas “em situações limite” procuram serviços de apoio. A vergonha é uma característica daqueles que são conhecidos como os “novos pobres” e a instituição do concelho acredita que existem “muitos mais casos” que todavia não foram relatados. “As dificuldades têm aumentado e estas são só as dificuldades relatadas, aquelas que nós conseguimos chegar. Existem muitos mais casos de pobreza e de necessidade que não recorrem aos serviços da Cruz Vermelha, por vergonha ou por desconhecimento”, explicou Daniela Esteves presidente da CVP, Delegação da Trofa. A responsável enalteceu que muitas vezes a instituição tem conhecimento de novos casos por “vizinhos, conhecidos e amigos” de determinado agregado familiar. “As pessoas que sempre viveram do seu trabalho, de forma independente, não estão habituadas ao apoio das instituições de solidariedade social. Estavam habituadas a apoiar e não a serem apoiadas pela instituição” referiu.

Esta é uma missão possível

De 16 a 18 de outubro a Missão Continente realiza, em parceria com a Cruz Vermelha Portuguesa, uma campanha nacional de recolha de alimentos para doar a todos aqueles que mais precisam. Durante os três dias mais de seis mil voluntários vão estar nas lojas Continente e Meu Super para recolher os “produtos e alimentos oferecidos pelos clientes serão posteriormente distribuídos às populações mais carenciadas, sinalizadas pelas Delegações da Cruz Vermelha Portuguesa, de acordo com as necessidades mais urgentes de cada região”. O Continente da Trofa está envolvido na campanha e por isso pode, durante o fim de semana, entre as 9 e as 21 horas, entregar alimentos aos voluntários da Cruz Vermelha Portuguesa da Trofa. Os produtos mais que a CVP da Trofa mais necessita “para dar resposta aos pedidos que surgem diariamente” são, salsichas, atum, feijão, leite, arroz e massa. Não se esqueça que esta é uma “missão possível” e todos podem ajudar.