Select Page

16 Anos de Município… e Agora!!!

16 Anos de Município…  e Agora!!!

No momento em que vivemos mais um Aniversário do Município da Trofa, revela-se sempre interessante conseguirmos refletir de forma transparente, o que foi mais um ano de vida deste Jovem Concelho e por outro lado traçar no nosso horizonte os objetivos para mais um ano que se inicia. Se o fazemos de forma mais ou menos intensa na nossa vida pessoal, porque não faze-lo em relação à comunidade onde estamos inseridos.
Se alguns ainda se questionam se valeu a pena a emancipação do nosso Município, ponderando se a realidade anterior não seria melhor do que a que hoje vivemos, outros defendem que o ganho de autonomia potencia uma evolução mais rápida.
Fazendo parte deste segundo grupo, e acreditando que muitos mais comungam da mesma opinião, defendo uma participação ativa, dentro dos direitos de cidadania, que nos permita divergir nas opiniões, para que possamos construir algo melhor tendo por base o contributo de muitos, com pensamentos diferentes, sem perder nunca o respeito por cada um.
Mas… Mais um ano passou, e apesar da ansiedade de dar a conhecer um rol de pontos concretizados, importantes, quando explicitados na seriedade de quem tem o verdadeiro mérito, nem sempre somos fieis às promessas assumidas
Pena é, quando a esta ansiedade se sobrepõem a incompleta ou inexistente concretização e mesmo assim permite anunciar e publicitar pontos como realizados, quando a realidade nem sempre o confirma.
Os exemplos são vários: os empregos a ser criados vs a necessidade de trabalho de muitos; as rotundas que finalmente funcionam vs o mesmo problema do passado; as travessias e variantes que são desejos de todos vs o caos da nossa rede rodoviária; mas tudo isso em dado momento estava feito ou era fácil de concretizar, pelo menos no papel ou nas redes sociais.
Mas somos Trofenses, e se soubemos lutar pela conquista da autonomia autárquica, hoje necessitamos, como Trofenses, lutar para que o que nos é apresentado como projeto seja efetivamente uma realidade, pois no que é bem feito, estamos todos de braço dado.
Precisamos revitalizar a Vontade de ser Trofense, a vontade de felicitar uma gestão que independentemente do meio ou canal mediático que usa para divulgar o que faz ou vai fazer um dia, seja lá quando for, se preocupe com a pessoa Trofense.
Que procure olhar todos os dias os problemas ou as dificuldades na visão do Trofense humilde, trabalhador, que apenas quer condições para ser um Trofense com melhor qualidade de vida.
Mas para isto necessitamos de Trofenses participativos, mobilizados, conscientes que a responsabilidade desta difícil tarefa também é de todos e de cada um, apenas pelo facto de ser Trofense e não por ser membro de qualquer organização.
Só o facto de sermos Trofenses dá-nos o direito de ser exigentes.
Exigentes nas promessas que hoje são realidade, amanhã são um desejo e no dia seguinte eram uma vontade que o contexto já não permite realizar. Como se hoje pudéssemos anunciar tudo, sem a responsabilidade de podermos ter que ser nós mesmos a concretizar amanhã.
O que queremos para o próximo ano… Transparência, Rigor, Seriedade, Proximidade, Respeito e acima de todos estes valores, o Humanismo no tratamento dos Trofenses enquanto Cidadãos, naquilo que é prometido, naquilo que nos é apresentado no momento do Voto, e depois por razões que a razão desconhece diverge na concretização.
Vamos ser Trofenses exigentes, para que a Trofa cresça com rumo, e sem promessas vãs, procurando acima de tudo o incremento da qualidade de vida do Trofense.

Pedro Ortiga

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização