Cinquenta e três chapéus estão expostos junto à Igreja Matriz de S. Martinho de Bougado e alertam para importância da proteção solar. São resultado de um concurso lançado pela Cruz Vermelha.

Da participação de quase 30 entidades, entre escolas e instituições, resultaram 53 chapéus, decorados com o objetivo de alertar para a importância da proteção solar, associando-o ainda à questão ambiental, com a utilização de materiais recicláveis.
Com o concurso lançado pela delegação da Trofa da Cruz Vermelha Portuguesa, como entidade coordenadora do projeto CLDS 4G Trofa, os chapéus ganharam dimensão artística e estão em exposição até ao próximo fim de semana, na antiga loja da Cruz Vermelha, junto à Igreja Matriz de S. Martinho de Bougado.
Depois de avaliados por um júri, foram premiados os trabalhos da Escola de Bairros, 1.ª classificada, e da Escola de Finzes e da Escola de Estação, do Muro, que completaram o pódio. Os prémios foram entregues a 21 de junho, primeiro dia do verão.

De Bairros saiu um chapéu decorado com vários peixes e motivos marítimos, feitos a partir de cápsulas de café. “Aproveitamos a iniciativa para, junto dos alunos, falarmos da importância do uso do chapéu e por isso também quisemos marcar o nosso com uma frase que elucidasse sobre a importância deste acessório nesta altura do ano”, explicou Rosalina Freitas, coordenadora da escola.
Já Maria Gomes, educadora de uma das turmas do jardim de infância de Finzes, associou este concurso a diversas atividades alusivas ao tema da proteção solar. “Em conversa com as crianças, dividimos o tema em três partes, que são, no fundo, os três locais onde estamos expostos ao sol, que são os parques infantis da cidade, a floresta e a praia. E depois, abordamos os modos de nos protegermos em cada um desses locais, aproveitando as sombras, usando o chapéu, os óculos, protetor solar e bebendo muita água”, explicou.
Perante a recetividade e empenho das instituições, a entidade organizadora só tem motivos para celebrar. “Nós recebemos os chapéus de forma emocionada, porque percebemos que as pessoas tiveram muito trabalho e que houve muitas horas de dedicação”, admitiu Carla Lima, coordenadora do CLDS 4G Trofa.
O concurso nasceu também associado ao projeto “O meu Sol Vive + O Verão”, que se trata de uma campanha de prevenção da exposição solar e promoção da saúde e segurança de crianças e jovens, dinamizada pela Juventude Cruz Vermelha Portuguesa, em parceria com a Nivea.