O CAT está a um ponto da liderança. A vitória sobre o Leixões era obrigatória e foi conseguida. Contudo as trofenses encontraram muitas dificuldades diante uma equipa que nunca dá um jogo como perdido.

 Foi difícil, mas conseguiu. O Clube Académico da Trofa encontrou bastantes dificuldades para vencer o Leixões no pavilhão desportivo da Escola EB 2,3 de S. Romão do Coronado. As pupilas de Manuel Barbosa impuseram uma derrota por 3-2 às adversárias matosinhenses, que vieram à Trofa com o intuito de não facilitar e conseguir vencer.

Para quem assistiu ao jogo, no final do segundo set era já uma certeza que as trofenses iam vencer. No primeiro parcial as atletas foram superiores e venceram por 25-17, tendo no seguinte imposto nova derrota por 25-18.

No entanto, tudo mudou no terceiro set. A vencer por 23-20 o CAT deixou-se dominar e o Leixões conseguiu levar a partida para os pontos adicionais, tendo vencido por 28-30. Galvanizadas pela reviravolta no parcial, as atletas comandadas por Teodoro Neto voltaram a surpreender as adversárias e levaram o jogo à "negra" (23-25).

No derradeiro set, cabia às atletas trofenses amenizar os estragos e vencer para poderem almejar subir ao primeiro lugar na próxima jornada, no jogo frente ao líder Sports Madeira.

O peso da responsabilidade afectou as jogadoras trofenses que se deixaram dominar pelo adversário até aos 8-10. A partir daí, o CAT foi superior e conseguiu vencer por 15-12.

Manuel Barbosa reconheceu que a opção de fazer rodar jogadoras menos utilizadas a partir do segundo set, não correu tão bem como esperava: "tínhamos o jogo controlado nos dois primeiros sets, pelo que quisemos dar tempo de jogo a outras jogadoras que que têm jogado menos, mas as coisas complicaram-se. O Leixões tem uma equipa bastante aguerrida e nunca dá por perdido o jogo, mas o que interessa é continuar a vencer", referiu o técnico que frisou ainda o facto de o CAT continuar na luta pelo primeiro lugar.

Já Teodoro Neto valorizou a "excelente atitude" que as atletas tiveram frente ao actual campão nacional e frisou que "se todos os jogos fossem assim, certamente, teríamos mais vitórias".

O técnico do Leixões referiu que "as alterações que o CAT fez ajudou o Leixões", que só não teve "estofo" para aguentar a "negra" com o mesmo ritmo.

O CAT ocupa o segundo lugar com 15 pontos, distribuídos por sete vitórias e uma derrota, e com menos um ponto que o líder e próximo adversário Sports Madeira. Abaixo das trofenses estão Ribeirense e Gueifães com 13 pontos, Câmara de Lobos, com 12, Clube K, com 11, Leixões, com 10 e Braga e ALA Gondomar, com 9.