Escritora Ana Maria Magalhães, co-autora de “Uma aventura”, visitou a EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, onde partilhou as histórias transcritas para a famosa colecção infanto-juvenil.

A ideia partiu de quem orienta a biblioteca da escola e, sem hesitar, os professores de Português aderiram. Foi entre olhares atentos e um mar de perguntas, que deixavam passar o fascínio ainda inocente de criança, que Ana Maria Magalhães foi recebida, esta quarta-feira, na Escola EB 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques.

Durante algumas horas, a biblioteca da escola deu lugar a um verdadeiro encontro de reflexão, onde a protagonista foi a escritora, uma das autores da famosa colecção de livros infanto-juvenil “Uma aventura”. Com perguntas preparadas e outras improvisadas, os alunos do 6ºano aproveitaram todos os minutos a que tiveram direito para falar com a escritora, que seduziu os mais novos com o seu talento inato para comunicar.

Apesar de “gostar mais de ver a série na televisão do que ler os livros”, Jorge Pires é um dos adeptos da colecção “Uma aventura”. Para o aluno as histórias “são engraçadas”, fruto talvez da “boa inspiração” que Ana Maria Magalhães tem “para escrever livros”.

ana-maria-magalhaes

Já para Paula Moura foi “uma boa iniciativa” Ana Maria Magalhães ter visitado a escola e “divertidas” é o adjectivo que encontra para melhor definir as “aventuras”. “Foi bom para conhecermos um pouco mais sobre ela e os seus livros”, reconheceu.

Foi em 1982 que Ana Maria Magalhães se estreou como escritora de livros infanto-juvenis, em parceria com Isabel Alçada, para lançar aquela que viria a ser a colecção mais famosa entre crianças e adolescentes portugueses. Em cada livro, Ana Maria Magalhães não descura a vertente pedagógica das histórias e, na Trofa, a principal mensagem a transmitir aos alunos é a de que “vale a pena apostar na leitura e no estudo”. “Portugal precisa de gente culta que saiba conduzir o país a um patamar mais elevado”, sustentou, em entrevista ao NT/TrofaTv.

Para a escritora, que ainda hoje não se separa do bloco de notas sempre em cima da mesinha de cabeceira, o fascínio e interesse demonstrado pelas crianças e jovens nas histórias de “Uma aventura” é sinónimo de “alegria e responsabilidade”. “Temos de continuar, mas continuar ao mesmo nível”, sublinha.

O encontro com a escritora Ana Maria Magalhães foi animado pelas interpretações musicais elaboradas pelos alunos do 6º ano, onde não faltou a clássica sessão de autógrafos dos livros da colecção. A iniciativa contou ainda com a colaboração do projecto Trofa – Comunidade de Aprendentes.