Linha de caminho de ferro desaparecerá do centro da Trofa

“Uma vitoria politica”. Foi desta forma que o presidente da Camara Municipal da Trofa se referiu à publicação em Diário da Republica do concurso publico para a construção do túnel, da variante Ferroviária da Linha do Minho, anunciada em Outubro de 2006 pelo Governo.

O concurso público para a construção da Variante Ferroviária da Trofa foi publicado em Diário da República de quarta-feira, dia 10 de Janeiro de 2007. A obra da responsabilidade da REFER, tutelada pelo Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações vai compreender a construção de um túnel com 1404 metros e compreende outros trabalhos complementares indissociáveis da sua execução. O valor global da obra em concurso é de 20.601.714,00 Euros sem IVA e o prazo de execução será de 730 dias a contar da data de adjudicação.

Bernardino Vasconcelos, autarca da Trofa considerou este lançamento do concurso como “uma enorme vitoria politica dos trofenses. É uma obra que vai determinar no centro da cidade uma revolução autêntica do ponto de vista urbanístico, com a saída da linha de caminho de ferro do centro vai criar a possibilidade de desenvolver um estatuto de cidade muitíssimo diferente” Para Vasconcelos acredita que “vai ser uma revolução na cidade”, quando o comboio passar na variante já que vai possibilitar a criação de uma nova centralidade, uma requalificação urbanística dotando a cidade de maior qualidade e referência”.

O edil mostra-se confiante a afirma que “esta obra é apenas o inicio de uma grande reviravolta no nosso concelho”, lamentando no entanto que “perante esta vitória e para o efeito que vai ter esta obra na cidade, tenha havido dos trofenses, como que um desinteresse, uma não valorização desta vitória extraordinária. As pessoas, geralmente viram-se contra a Câmara e erradamente e agora não querem valorizar esta vitória politica que o é, num período em que o Estado corta o investimento público”, rematou.

Os detalhes do concurso podem ser consultados em www.dre.pt, Diário da Republica, 2ª Serie, nº7 de 10 de Janeiro de 2007.