Um golo de Santos deu este domingo a vitória ao Trofense na receção ao Desportivo das Aves, que falhou, na 30.ª e última jornada da Liga de Honra, a promoção à Liga, alcançada pelo Moreirense.

Para subir de divisão, o Desportivo das Aves precisava de vencer ao Trofense, que já tinha a manutenção assegurada, e esperar que o Moreirense perdesse em casa diante do “aflito” Sporting da Covilhã.

O golo solitário do trofense Santos, aos 27 minutos, derrubou as intenções avenses, enquanto o Moreirense empatou a um golo na receção aos “Serranos”, que acabaram por ser despromovidos.

Começou melhor a equipa de João Eusébio, com Zé Manel a bater um livre forte que foi ter às mãos do guarda-redes avense.

O Desportivo das Aves respondeu, aos 17 minutos, com um remate de Ricardo Chaves para fora.

O único golo da partida foi apontado, de cabeça, por Santos, aos 27 minutos.

A vantagem do Trofense enervou ainda mais o Desportivo das Aves, cujos adeptos tiveram pouco tempo para festejar o golo do Sporting da Covilhã em Moreira de Cónegos, já que menos de cinco minutos depois “acusaram” o empate do Moreirense.

Em desvantagem, sucederam-se as tentativas da equipa orientada por Rui Nascimento. João Pedro, aos 32, rematou cruzado para as mãos de Marco e Vasco Matos, aos 40, com um remaste rasteiro viu a bola sair pela linha final.

Após o intervalo, o Aves entrou em campo com vontade de dar a volta ao resultado, mas o nervosismo e a ansiedade tomaram conta de todos os movimentos dos visitantes, que também encontraram pela frente uma “muralha” defensiva trofense a inviabilizava a chegada das bolas a Marco.


Aos 47 minutos, Vasco Matos atirou ao lado, naquela que foi a única ocasião de real perigo em trinta minutos de jogo e a emoção aumentou nos últimos quinze minutos de jogo.

Primeiro, Quinaz e Zé Manel desentenderam-se, à entrada da grande área, por alegada agressão por parte do avançado trofense. Na sequência deste lance, o juiz leiriense Olegário Benquerença expulsou um jogador de cada equipa: Zé Manel e Vasco Matos.

Aos 76 minutos, o Desportivo das Aves desperdiçou uma grande penalidade, que castigou o corte com a mão de Santos na grande área, mas Marco esticou-se e evitou o golo de Pires.

Depois de ter sido o guardião da casa a negar o golo ao Desportivo das Aves, foi a vez de a trave negar o empate aos avenses, primeiro após remate de Fonseca e depois por Pires, mesmo em cima do último minuto.

Jogo no Estádio do CD Trofense, na Trofa.

Trofense: Marco (Ricardo, 90+4), João Viana, Santos, Élvis, Pedro Araújo, Tiago, Pedro Santos, Crivellaro, Zé Manel, André Carvalhas (Feliz, 39) e Reguila (Rafa, 90).

(Suplentes: Ricardo, David, Rafa, Moustapha, Paulo Renato, Gabriel Viana e Feliz).

Desportivo das Aves: Rui Faria, Geraldes, Tiago Valente, João Pedro (Fonseca, 47), Nelson, Romeu (Pedro Cervantes, 37), Ricardo Chaves, Bischoff, Pedro Pereira (Quinaz, 60), Vasco Matos e Pires.

(Suplentes: Márcio Ramos, Grosso, Pedro Cervantes, Quinaz, Renato, Tito e Fonseca).

Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para João Pedro (21), João Viana (31), Pedro Araújo (43), Feliz (49), Zé Manel (54 e 71) e Vasco Matos (71 e 73). Cartão vermelho, por acumulação de amarelos, para Zé Manel (71) e Vasco Matos (73).

Assistência: Cerca de 4.000 espetadores.

Fonte : Jornal Record