Um golo solitário de André Marques deu  um precioso triunfo ao Vitória de Setúbal no terreno do Trofense (1-0), que despediçou uma grande penalidade, em encontro da 22ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

Em inferioridade numérica durante pouco mais de meia hora, por expulsão de Leandro Lima (37 minutos), o Vitória segurou o melhor que pôde a vantagem conseguida ao minutos 28 e agradeceu a Kieszek ter defendido um penalti (65), até que Moustapha também viu cartão vermelho (72) reequilibrando as peças em campo.

Com dois triunfos consecutivos, o Setúbal, 13º, afastou-se da zona de despromoção, estando cinco pontos acima, ao contrário do Trofense, 14º, que se mantém apenas um ponto acima de Belenenses e Rio Ave.

O primeiro lance de perigo pertenceu aos visitantes, à passagem do minuto oito: Paulinho quase fez auto-golo, após jogada de Bruno Gama, mas a bola saiu para canto.

Aos 15 minutos de jogo, a equipa da casa reclamou grande penalidade, mas Carlos Xistra deixou seguir o lance. Em causa uma alegada mão de Robson na grande área, após jogada perigosa de Mércio, pela esquerda.

Contra a corrente do jogo, o Vitória de Setúbal abriu o marcador aos 28 minutos, por intermédio de André Marques que marcou, muito bem, de livre directo. A defesa do Trofense não fica isenta de culpas neste lance.

A partir do minuto 37, os sadinos passaram a jogar com menos uma unidade: Leandro Lima viu vermelho directo por agressão a Mércio, depois de uma jogada disputada entre ambos.

Até ao intervalo registaram-se apenas as tentativas do Trofense que, a perder pela margem mínima e em superioridade numérica, pareceu despertar. Primeiro, Hélder Barbosa rematou de longe e a bola saiu muito perto da baliza (33) e, depois, seguiu-se novo remate de Hugo Leal para as mãos do guardião sadino (40).

Na segunda parte, a equipa orientada por Tulipa desperdiçou uma óptima oportunidade para estabelecer a igualdade. Depois de uma falta dura de Robson sobre Reguila, Pinheiro, na cobrança de grande penalidade, permitiu a defesa a Kieszek (65).

Aos 72 minutos, doi a vez da equipa da casa ficar reduzida a dez jogadores, por expulsão do recém-entrado Moustapha, com vermelho directo.

No seu jogo de apresentação, o avançado costa-marfinense, comprado em Janeiro, que esteve dois meses à espera da chegada do certificado internacional, esteve em campo apenas 30 minutos e acusou muita ansiedade como prova a falta dura, e desnecessária, sobre Ricardo Chaves.

Na recta final do encontro, o Vitória de Setúbal fez tudo por tudo para segurar o resultado. Já o Trofense esteve muito perto de empatar, mas os remates de Reguila (80) e Mércio (87 e 91) não conseguiram furar a muralha defensiva sadina.

O último lance de perigo do encontro ainda pertenceu aos visitantes. Paulo Regula podia ter feito o segundo golo, mas o guardião Marco defendeu, por instinto, com os pés (92).