maritimo-trofense
Marítimo e Trofense empataram , a uma bola, em encontro da 23ª jornada da Liga portuguesa de futebol, realizado no Estádio dos Barreiros, no Funchal.

O resultado deixa ambas as equipas “satisfeitas”, pois os seus objectivos não ficaram definitivamente comprometidos.

Equipas com pretensões diferentes, os madeirenses procurando uma qualificação europeia, os nortenhos tentando alcançar a permanência no primeiro escalão do futebol português.

Na primeira parte, ambas as equipas encaixaram-se um na outra, mas o Marítimo foi sempre superior, criando algumas situações, não de golo, mas de aflição para a turma de Tulipa.

 

O golo dos madeirenses surgiu aos 28 minutos, quando Bruno converteu uma grande penalidade cometida pelo guardião Marco sobre o avançado Baba.

Os homens da Trofa não desanimaram e, aos 40 minutos, num dos bons livres de Hugo Leal, da esquerda, Reguila “apanhou” a defesa anfitriã a “dormir”.

A segunda metade da “partida” foi de tudo o mesmo, ou seja, um Marítimo dominador mas sem criar oportunidades de golo e um Trofense, com um meio-campo muito “operário”, a controlar a partida.

Carlos Carvalhal tentou tudo, fez entrar o angolano Djalma e o paraguaio Victor Aquino, mas apenas aos 77 minutos Aquino teve uma oportunidade de golo.

Aos 87 minutos, fruto da pressão “verde-rubra”, o central Antoine cabeceou com muito perigo por cima da barra, ficando por aqui a objectividade ofensiva de quem tinha obrigação de vencer a partida.

A arbitragem de João Ferreira deixou algo a desejar na não aplicação disciplinar da virilidade defensiva dos visitantes, sendo vaiado no final da partida, isto após a expulsão do treinador Carlos Carvalhal, por protestos.

Jogo realizado no Estádio dos Barreiros, no Funchal.

Marítimo – Trofense, 1-1.

Ao intervalo: 1-1.

Marcadores:

1-0, Bruno, 28 minutos (g.p.).

1-1, Reguila, 40.

As equipas alinharam:

– Marítimo: Marcos, Paulo Jorge, João Guilherme, Antoine van der Linden, Taka, Olberdam, Bruno (Victor Aquino 77) , Miguelito (João Luiz, 60), Manú, Ytalo (Djalma, 46) e Baba.

(Suplentes: Marcelo, Fernando, Djalma, João Luiz, Briguel, Victor Aquino e Victor Júnior).

– Trofense: Marco, Zamorano, Miguel Ângelo, Valdomiro (Dágil, 86), Areias, Varela, Milton do Ó, Hugo Leal, Pinheiro (David Caiado, 60), Reguila e Hélder Barbosa (Paulinho, 74).

(Suplentes: Paulo Lopes, Paulinho, Lipatin, Charles Chad, Dágil, Rui Borges e David Caiado).

Árbitro: João Ferreira, de Setúbal.

Acção disciplinar: Cartão amarelo para Marco (26), Miguelito (45) e Hélder Barbosa (64).

Assistência: Cerca de 4.000 espectadores.