O líder Trofense teve este domingo o  quarto jogo consecutivo sem vencer e a primeira derrota caseira, ao perder por 2-1 com o Freamunde, em encontro da 20ª jornada da Liga de Honra em futebol.

     Depois dos empates em Barcelos (1-1), na recepção ao Vizela (0-0) e na Vila das Aves (1-1), o "onze" da Trofa voltou a comprometer, estando agora com apenas mais um ponto do que o segundo colocado (Rio Ave) e dois em relação ao terceiro (Vizela).

    Bruno Ferraz, aos 20 minutos, e Diogo, aos 79, apontaram os tentos dos forasteiros, que seguem agora a apenas cinco pontos do segundo colocado, enquanto Nuno Pinto, aos 32, marcou o único golos dos locais, que desperdiçaram nove pontos nas últimas quatro rondas.

    Os visitantes abriram o marcador, aos 20 minutos, com Bruno Ferraz a marcar de cabeça, após um canto, num golo justo e merecido, já que a equipa da casa surgiu aparentemente nervosa e mal organizada.

    Mais prático, o Freamunde já tinha ameaçado as redes adversárias aos 10 minutos, com Bertinho a rematar à figura de Paulo Lopes, que se desconcentrou perante Bock, aos 17, e quase permitiu o golo, valendo-lhe o alívio de Edú.

    Aos 30 minutos, Bruno Ferraz cabeceou para as mãos do guarda-redes do Trofense, que, contra a corrente do jogo, chegou ao golo da igualdade aos 32: Nuno Pinto, de livre directo, rematou rasteiro, mas de forma eficaz, sem hipóteses para Tó Figueira.

    Só depois do 1-1 e perto do intervalo, é que os locais pareceram recuperar de uma certa ansiedade inicial. Acordaram e começaram a dominar a partida, criando, pela primeira vez, perigo junto à área dos homens de Jorge Regadas.

    António Conceição fez entrar o reforço de Inverno Theo, que imprimiu uma dinâmica maior ao encontro, mas foi Pinheiro, o melhor marcador da equipa, com cinco golos, que quase marcou aos 44 minutos, após passe de Ricardo Nascimento.

    Nos descontos do primeiro tempo, os anfitriões ainda gritaram golo, mas o brasileiro Theo mandou a bola à trave.

    O início da segunda parte foi equilibrado, com lances de perigo repartidos. O Trofense procurava chegar à vantagem, mas o Freamunde aproveitava bem os espaços criados e avançava no terreno em contra-ataque.

    O primeiro lance de maior perigo foi protagonizado pelo avançado Reguila (75 minutos), que no frente-a-frente com o guarda-redes Tó Figueira deixou a bola escapar pela linha de fundo.

    Qualquer uma das equipas justificaria um segundo golo, mas o Freamunde foi mais feliz, quando, aos 79 minutos, Paulo Sérgio ofereceu a bola de bandeja ao recém-entrado Diogo: o defesa do Trofense atrasou para Paulo Lopes, mas o jogador visitante agarrou e rematou sem hipóteses.

    Em desespero, Theo aproveitou uma confusão na pequena área e empurrou a bola contra o corpo de Tó Figueira, que estava deitado no relvado, à entrada da baliza. Os da casa gritaram golo, mas o árbitro lisboeta Duarte Gomes entendeu que a bola não chegou a passar a linha.

    O último lance do desafio (92 minutos) mostrou que o Trofense queria, empatar a partida – Nuno Pinto rematou forte, mas quase toda a equipa do Freamunde estava na pequena área disposta a fazer barreira às intenções desesperadas dos locais.

O treinador do Trofense, António Conceição, lamentou  a primeira derrota caseira (1-2 com o Freamunde, em encontro da 20ª jornada da Liga de Honra em futebol), voltando a rejeitar o "rótulo" de candidato à subida.

    O Trofense perdeu nove pontos nos últimos quatro jogos, ao empatar com Gil Vicente (1-1 em Barcelos), Vizela (em casa, 0-0) e com Desportivo das Aves (fora, 1-1) e perder, em casa pela primeira vez nesta época, com o Freamunde.

    "Estão a ver agora porque é que nós nunca aceitámos que nos chamassem candidatos?", questionou António Conceição, no final do encontro com o Freamunde, como se trocasse de posição com os jornalistas presentes na sala de imprensa do Trofense.

    O técnico dos anfitriões considerou que a sua equipa não mereceu perder e lamentou que esta primeira derrota caseira tenha resultado de um lance "infeliz" – Paulo Sérgio atrasou a bola para o guarda-redes Paulo Lopes e não viu Diogo no enfiamento da jogada.

    "Fomos demasiado precipitados, mas merecíamos, pelo menos, um empate. Hoje ficou provado porque nunca assumimos se queremos subir. Quando a pressão sobe, os jogadores ficam mais inibidos", disse o técnico da formação da Trofa.

    O adjunto do Freamunde, Pedro Monteiro, foi à sala de imprensa fazer as vezes do treinador Jorge Regadas, que está castigado, e apelidou o Trofense de "melhor equipa da Liga de Honra".

    Apesar dos elogios para a equipa anfitriã, foram os jogadores do Freamunde que mereceram o elogio maior: "este grupo foi e é fantástico, mereceu ganhar e deu o seu melhor", disse, acrescentando que a sua equipa conseguiu "anular as peças fundamentais do líder".

    

    Jogo no Estádio do Clube Desportivo Trofense, na Trofa.

    Trofense – Freamunde, 1-2.

    Ao intervalo: 1-1.

    Marcadores:

    0-1, Bruno Ferraz, 20 minutos.

    1-1, Nuno Pinto, 32.

    1-2, Diogo, 79.

   

    Equipas:

    – Trofense: Paulo Pontes, Maia (Theo, 36), Valdomiro, Milton do Ó, Nuno Pinto, Edú, Ricardo Nascimento (Moukouri, 76), Rui Borges, Pinheiro, Reguila e Edu Souza (Paulo Sérgio, 60).

    (Suplentes: Vítor, Theo, Moukouri, Kazeem, Pesca, Paulo Sérgio e Gora Tall).

    – Freamunde: Tó Figueira, Coelho, Heslley, Bruno Ferraz, André Marques, Nelson (Diogo, 63), Cuco, Milton (Filipe, 63), Raviola, Bock (Brandão, 88) e Bertinho.

    (Suplentes: Rui Ribeiro, Vítor, Filipe, Dany, Diogo, Artur e Brandão).

   

    Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa).

    Acção disciplinar: Cartão amarelo para Maia (27), Raviola (40), André Marques (44), Theo (53) e Filipe (72).

    Assistência: cerca de 2.000 espectadores.