O Belenenses venceu hoje o Trofense, por 3-2, em jogo da 12ª jornada da Liga de futebol, operando uma reviravolta no resultado na segunda parte, depois de ter entrado no intervalo com uma desvantagem de dois tentos.

    Com a vitória, que premiou a maior determinação dos “azuis” e penalizou o Trofense, o Belenenses entregou o último lugar do campeonato à equipa nortenha, que soube aproveitar as escassas oportunidades de golo, mas que não soube conservar a vantagem.

    Durante todo a primeira parte, o Trofense, com excesso de confiança na segunda parte, entregou a iniciativa ao Belenenses e manteve-se na expectativa.

    Não admira que tenha pertencido ao Belenenses o primeiro lance de perigo, aos 06 minutos, mas Marcelo chegou tarde ao cruzamento de Vinicius Pacheco e Paulo Lopes segurou a bola.

    A formação do Restelo mantinha a tendência ofensiva e, por manifesta infelicidade, não se colocou a vencer, aos 16 minutos.

    Delfim deixou que China se apoderasse da bola, corresse até à área e cruzasse para o remate forte de Vinicius Pacheco, com a barra a impedir que o golo materializasse a acutilância dos “azuis”.

    Na primeira vez que o Trofense desceu com perigo à área do Belenenses, aos 22 minutos, a equipa de Tulipa deu mostras de eficácia e festejou o golo, com Barbosa a centrar para Edu Souza baixar-se e de cabeça desviar a bola para longe do alcance de Júlio César.

    Inconformado com o rumo dos acontecimentos, Jaime Pacheco promoveu a entrada de Wender para o lugar do médio Sérgio Organista, 37 aos minutos.

    Silas recuou mais no terreno e Wender fixou-se na esquerda, alargando o ataque do colectivo para três unidades, mas sem que a alteração na equipa do Restelo produzisse qualquer incidência junto da baliza.

    O Trofense dava a ideia de que abdicava do ataque, mas o brasileiro Edu Souza deu o sinal de vitalidade, aos 44 minutos, com um remate cruzado que obrigou Júlio César a uma defesa com algum grau de dificuldade.

    Nos descontos, o Trofense ampliou a vantagem, na sequência de um livre transformado por Hugo Leal, na esquerda do ataque dos nortenhos, a que correspondeu, de cabeça, Valdomiro, elevando-se mais alto do que os centrais do Belenenses.

    A equipa do Belenenses, alvo de assobiadela por parte dos adeptos no intervalo, voltou dos balneários com outra dinâmica, acabando por reduzir para 2-1, aos 56 minutos.

    Silas cruzou e o brasileiro Marcelo, com um remate à meia volta com o pé direito, não deu quaisquer hipóteses de defesa a Paulo Lopes.

    Novamente na sequência de um cruzamento, Wender encontrou Marcelo na área, aos 65 minutos, em posição privilegiada juntamente com Silas, mas o sul-americano nem conseguiu rematar nem entregar ao capitão.

    De tanto porfiar, o Belenenses acabou por restabelecer a igualdade, aos 67 minutos, premiando a determinação dos “azuis”.

    José Pedro, num livre, endossou a bola para Marcelo, que, de cabeça, remeteu-a para a baliza e, quase sobre a linha de golo, Wender confirmou o golo.

    Frente a um Trofense remetido exclusivamente a tarefas defensivas, o Belenenses galvanizou-se com o tento e o jogo ganhou um sentido único, com os nortenhos incapazes de travar o ímpeto contrário.

    Coroando uma exibição muito positiva, Marcelo, aos 78 minutos, acabou por entregar ao panamiano Gabriel Gomèz a tarefa de finalizar dentro da área e permitir que o Belenenses festajasse a segunda vitória na Liga, depois de ter vencido a Académica, também no Restelo.

Os Treinadores:

Tulipa

{mp3remote}http://mp3.rtp.pt/mp3/wavrss/desp/futebol/35426_25259.mp3{/mp3remote}

Jaime Pacheco

{mp3remote width=”501″ height=”416″ autostart=”false”}http://mp3.rtp.pt/mp3/wavrss/desp/futebol/35425_25258.mp3{/mp3remote}