O Trofense perdeu no terceiro teste para a época que se avizinha. O Desportivo das Aves marcou na segunda parte depois de segurar o ímpeto ofensivo do Trofense nos primeiros 45 minutos. Williams, Hélder Sousa, Tiago e Moustapha deram boas indicações ao treinador Vítor Oliveira.

A profunda remodelação já se nota na equipa do Trofense que lutará pela subida de divisão esta temporada. No terceiro jogo-treino – o primeiro em casa – o conjunto titular de Vítor Oliveira só apresentava quatro resistentes: Marco, Milton do Ó, Paulinho e Moustapha.

Tudo o resto são reforços minuciosamente escolhidos pelo técnico. Desconhecidos, mas com credenciais suficientes para ganhar a confiança de Vítor Oliveira que encara com grande motivação este regresso ao comando técnico de uma equipa.

Contra o Desportivo das Aves, o Trofense não brilhou, mas na primeira parte deu indicações de um já razoável entendimento entre os elementos. Destaque para Tiago, Hélder Sousa e Williams que tiveram sempre um papel interventivo, principalmente na primeira parte, com as jogadas de maior perigo a serem desenhadas por estes atletas.

trofense_desportivoaves2

Williams, pedra-chave no ataque trofense, mostrou uma resistência razoável na partida à semelhança de Moustapha que, com um rendimento igualmente satisfatório, mostra argumentos para poder almejar um lugar no onze titular de Vítor Oliveira.

Com um melhor entrosamento, o Trofense chegava mais vezes à baliza adversária e por pouco não conseguiu chegar ao golo. Hermes, aos 25 minutos, falhou por pouco o cabeceamento certeiro depois de um cruzamento de Williams.
Na segunda parte, com as normais alterações em jogos de preparação, o Trofense perdeu fulgor e o Desportivo das Aves aproveitou para se aproximar da baliza defendida por Vítor.

Reguila não conseguiu repetir o feito do jogo com o Beira-Mar e ficou em branco, ao contrário de Xano que marcou o único golo da partida, a favor dos avenses.
A poucos minutos do final, Silas, que ganhou um lugar na equipa trofense, quase conseguia antecipar-se ao guarda-redes.

Vítor Oliveira afirmou que “não foi um jogo bem conseguido” e que a equipa esteve “abaixo” daquilo que deveria produzir neste momento”. Para o treinador o positivo da partida foi “sentir que a missão não vai ser fácil”.

“Pensávamos que iríamos ter um rendimento diferente. Contudo, o resultado veio numa boa altura, para alertar-nos e para sentirmos aquilo que vamos encontrar no campeonato, ou seja, equipas muito fechadas a perder tempo, a jogar para o resultado, mas nós temos a obrigação de impor ritmos diferentes daquele que impusemos hoje”, referiu.

A equipa apresenta-se aos sócios no próximo sábado, num jogo com o Vitória de Guimarães, pelas 20.30 horas. O preço dos bilhetes para assistir ao jogo varia entre dois e seis euros.