trofense-nacional

Dois golos de Nené deram hoje a vitória (2-1) ao cada vez mais “europeu” Nacional da Madeira no terreno do Trofense, em encontro da 24ª jornada da Liga portuguesa de futebol.

Com os tentos conseguidos apo 13 e 34 minutos, o goleador brasileiro, melhor marcador do campeonato, alargou a contagem pessoal para 17 e manteve a distânica para para o principal perseguidor, o compatriota Liedson (Sporting), que também bisou e segue com 11 golos.

Com este resultado, o Nacional da Madeira ascendeu ao quarto lugar (com 42 pontos), ultrapassando o Sporting de Braga que consentiu um empate (1-1), em casa, frente ao Marítimo, antes da visita à Choupana na próxima ronda.

Já o Trofense manteve-se na 15ª posição (com 19 pontos), menos um que o Belenenses (14º) e mais dois que o “lanterna-vermelha” Rio Ave (16º).

Os madeirenses entraram melhor na partida e ameaçaram cedo as redes do Trofense que só criou real perigo à passagem do minuto 22, num remate de Hélder Barbosa, após passe de reguila, que obrigou Rafael Bracali a defesa apertada.

Antes o Nacional já tinha chegado com perigo à área trofense, por intermédio de Mateus (04 minutos) e de Alonso (09).

Mas foi mesmo o goleador Nené, após passe de Leandro Salino, quem abriu o marcador, ao 13 minutos, numa jogada de contra-ataque que penaliza muito a defesa da casa que não estava atenta e o guarda-redes Marco que saiu da baliza em falso.

Depois de nova ameaça madeirense com um tiro de Ruben Micael ao poste (32), Nené bisou sem grande surpresa. A jogada do segundo golo dos insulares começou com Patacas a fazer um centro perfeito para o avançado brasileiro que encostou, sem dar hipóteses ao guardião do Trofense.

Na segunda parte, a equipa orientada por Tulipa entrou com vontade de inverter o resultado, mas apesar das insistências, tiveram pela frente um Nacional da Madeira muito experiente e uma guarda-redes madeirense bastante inspirado.

Aos 56 minutos, de livre, Hélder Barbosa pontapeou forte, mas Bracali defendeu com os punhos. No minuto seguinte, o conjunto da Trofa pediu grande penalidade por derrube de Reguila na pequena área do Nacional, mas o bracarense Cosme Machado deixou seguir o lance.

Além da atenção e da experiência da equipa de Manuel Machado, o Trofense teve de enfrentar uma notória falta de sorte e de jeito e nem as jogadas individuais protagonizadas por Hélder Barbosa (63 e 65) pareciam surtir efeito.

Antes do golo que ainda fez sonhar os adeptos trofenses são de registar as tentativas de Mércio (72) e Varela (75).

Aos 78 minutos, Hugo Leal, após cruzamento de Charles Chad, reduziu a desvantagem com um golo de cabeça que iludiu Bracali.

A partida terminou com muitos nervos e com muita agitação nas bancadas, depois de ter sido anulado um golo a Charles Chad (88), por fora-de-jogo do avançado brasileiro. Devido a protestos, o treinador do Trofense, Manuel Tulipa, foi expulso do banco de suplentes já nos descontos (91).

Esta foi a quarta derrota do Trofense frente ao Nacional da Madeira o Nacional. Para a Taça da Liga, em Agosto, o Trofense perdeu por 2-0. Na primeira volta do campeonato, à nona jornada, o Nacional venceu por 1-0. E, nos oitavos-de-final da Taça de Portugal, em Dezembro, em casa, a equipa da Trofa perdeu por 4-2.