Abílio Cardoso é trofense e vai ser o homem responsável por fechar as corridas da Volta a Portugal em bicicleta que arranca da Trofa a 5 de agosto.

Abílio Cardoso. Trofense. Comissário de ciclismo. Este é o homem que vai “comandar” o carro vassoura da Volta a Portugal em bicicleta deste ano.

“É uma missão muito ingrata e delicada, embora não pareça”, garantiu. Abílio Cardoso terá a responsabilidade de “fazer o controlo do fecho da corrida”. “Temos de controlar todos os corredores que podemos levar à nossa frente e aconselhá-los a desistir em função do tempo que eles levam da cabeça do pelotão”, acrescentou.

Em Portugal esse período não está bem definido, é calculado em percentagem e por vezes temos de facilitar um pouco as coisas. No entanto, há países na Europa que estipularam que os ciclistas que estejam a 15 minutos ou mais da cabeça do pelotão devem ser eliminados. É a pior missão que pode existir”, explicou.

Para muitos desconhecidos, os comissários funcionam como árbitros do ciclismo e devem gerir as corridas e, neste caso, a Volta a Portugal, “a mais importante prova nacional”. Os comissários de ciclismo podem ter várias especializações. Abílio Cardoso começou com estas funções “há 30 anos” e formou-se tem três vertentes: Estrada, BTT e Trial, que foi “o último curso” que completou. “A vertente de estrada é a que mais me seduz e a que sempre preferi”, confessou.

A Volta implica o envolvimento e trabalho de 11 comissários, cada um “incutido de uma missão”.

“Tentamos fazer uma gestão em conformidade com a corrida, até porque temos de lhe tentar dar algum brilho. Temos de saber ler a prova desde a cabeça do pelotão até trás. Para isso, estamos em contacto permanente uns com os outros”, explica Abílio Cardoso.

No entanto, nem sempre esta é uma tarefa fácil: “Temos de engolir algumas coisas que não gostaríamos, mas o que é importante é o público, os patrocinadores e toda a aquela gente, que é muita, e que nunca assistiu é um espetáculo totalmente diferente, que não tem nada a ver com uma corrida domingueira como é a Volta”.

Este homem do ciclismo garante que “a Trofa foi muito feliz” ao ter “a segunda prova mais dura” da Volta a Portugal a começar no concelho. “Acho que a Trofa vai sair a ganhar com a volta a sair daqui, como qualquer concelho que esteja envolvido na Volta a Portugal só tem grandes benesses com isso. É óbvio que nós temos algumas dificuldades em termos de alojamentos, mas isto é um grande cartão de visita para a Trofa”, defendeu.

Abílio Cardoso acredita que “vai ser um marco para as pessoas perceberem o que é a Trofa que este é um concelho que apoia o desporto e é competitivo”.

A primeira etapa da Volta a Portugal em bicicleta vai arrancar da zona da nova estação a 5 de agosto e o comissário de estrada aconselha os aficionados a “estarem lá duas horas antes” para se aperceberem de todo o envolvimento e apreciarem os espetáculos de entretenimento.

 {fcomment}