O campeão nacional FC Porto, goleou (4-1), hoje, o cada vez mais aflito Trofense, em encontro da 29ª jornada, disputado na Trofa.

Com esta vitória o treinador tricampeão, Jesualdo Ferreira, conseguiu o 11º triunfo consecutivo, igualando uma marca dos técnicos António Oliveira e Artur Jorge

Farias e Lisandro bisaram, com golos marcados aos 29 e 80 minutos, e 43 e 62 minutos, respectivamente. Para a equipa da Trofa marcou Hugo Leal, aos 84.

Depois de um empate no Dragão (0-0 à 14ª jornada), o Trofense não conseguiu, em casa, impor-se ao tetracampeão nacional FC Porto.

Num jogo com duas equipas a lutar por objectivos bem diferentes – Trofense luta pela manutenção, enquanto FC Porto já se sagrou campeão na última jornada (1-0 com o Nacional da Madeira) – os “azuis e brancos” dominaram quase toda a partida e souberam tirar partido do nervosismo do adversário.

O primeiro lance de perigo pertenceu ao conjunto portista: Farias rematou para boa defesa de Marco (aos 12 minutos). O Trofense reagiu por Miguel Ângelo que, num cabeceamento, obrigou Nuno a esticar-se.

O primeiro golo do FC Porto surgiu, aos 29 minutos, por Farias. A jogada começou num bom entendimento entre Lisandro e Mariano que deixaram a bola a Farias. Miguel Ângelo anda tentou aliviar, mas não chegou a tempo.

A perder pela margem mínima, a equipa da Trofa não esmoreceu e até pareceu despertar. Aos 32 minutos, Hugo Leal marcou um livre bem colocado, mas o guardião portista socou a bola para a frente. No minuto seguinte (33) foi a vez de Pinheiro tentar a sorte, mas a bola foi parar às mãos de Nuno.

O melhor lance de golo dos trofenses aconteceu aos 35 minutos: Hélder Barbosa, após canto de Hugo Leal, quase fazia o empate, mesmo à boca da baliza, mas Lisandro salvou mesmo em cima da linha de golo.

O segundo golo do FC Porto surgiu, um pouco contra a corrente de jogo, embora fosse notória a superioridade dos “azuis e brancos” que souberam aproveitar bem as desatenções da defesa da casa. Aliás, foi mesmo após uma falha de Zamorano bem aproveitada por Farias que Lisandro marcou (43 minutos).

Na segunda parte, o FC Porto começou melhor e nada conseguiu parar a força dos campeões nacionais.

Aos 62, Lisandro bisou com um bonito chapéu que iludiu David Caiado e Marco. Antes a bola ainda tinha passado por Benitez, Hulk e Farias, sem que a defesa trofense mostrasse real oposição.

O quatro golo dos “dragões” surgiu por intermédio de Farias, após cruzamento de Hulk (aos 80 minutos).

A equipa orientada por Tulipa ainda conseguiu o reduzir: O “golo de honra” do Trofense surgiu aos 84 minutos, através de um remate forte e frontal de Hugo Leal.

Destaque ainda para as estreias do defesa Stepanov e do guarda-redes Ventura que, assim, também puderam sagrar-se campeões.