O Nacional da Madeira venceu hoje o Trofense (4-2) em encontro dos oitavos de final da Taça de Portugal, disputado na Trofa.

    Na primeira parte, Trofense começou melhor, originando mais lances de perigo: Hélder Barbosa atirou ao lado (cinco minutos) e Valdomiro (aos oito) de livre, raspou o poste de Bracali.

    Mas foi o Nacional da Madeira, em contra-ataque, quem conseguiu concretizar melhor. Aos dez minutos, os madeirenses já venciam por uma bola a zero: golo de Nenê apôs passe de Juninho.

    Edú, aos 20 minutos, teve tudo para igualar a partida, mas o cabeceamento encontrou pela frente Bracali. Aos 29, Mércio rematou, mas a defesa insular aliviou.

    O Nacional reapareceu na partida por intermédio de Nenê e Alonso que tentaram dilatar a vantagem aos 34 e 38 minutos, respectivamente. E da ameaça à concretização, só foi preciso uma ajuda da defesa trofense muito desatenta e o segundo golo apareceu aos 42 minutos: Miguel Fidalgo, na recarga a um remate de Nenê, atirou para o fundo das redes.

    Adivinhava-se, e bem, que esta seria a terceira derrota do Trofense com o Nacional nesta temporada (encontros anteriores: 2-0 para a Taça da Liga e 1-0 à nona jornada do campeonato, ambos na Choupana), mas dois golos caseiros de uma assentada, um mesmo antes do intervalo e outro no início do segundo tempo, relançaram a partida.

    Primeiro foi o defesa Valdomiro quem fez vibrar os adeptos da casa, aos 45, depois de um cruzamento de Hugo Leal. Aos 46, o avançado Reguila – arredado da competição há algum tempo; entrou para substituir o lesionado Lipatin – atirou de fora da área com muita força, sem dar hiposes ao guarda-redes madeirense.

    O Trofense voltou a sonhar e o Nacional começou a reflectir, consentindo, ainda dois lances de muito perigo para a equipa da casa: Mércio obriga Bracali a esticar-se (55) e Valdomiro, de cabeça, manda à trave (58).

    Aos 63 minutos, o Nacional da Madeira começou a reagir com Juninho a dar o primeiro aviso e Paulo Lopes a redimir-se, como uma grande defesa, dos golos sofridos no primeiro tempo.

    Edson acabou por conseguir o terceiro golo de forma, novamente, fácil, aos 72 minutos. Mateus estabeleceu o resultado final, aos 87, isolando-se frente a Paulo Lopes que nada pode fazer para evitar o quarto golo dos visitantes.

   
Os Treinadores:

Manuel Tulipa, treinador do Trofense, em declarações após a derrota por 2-4 frente ao Nacional para a Taça de Portugal.

«Ficámos em desvantagem por demérito nosso e conseguimos depois reagir muito bem. Poderíamos mesmo ter passado para a frente no marcador, mas depois na cobertura fomos muito frágeis. O futebol inicia-se após a perda de bola e hoje não estivemos concentrados nesses lances. Fomos apanhados muitas vezes em contra-pé e demos muitas facilidades ao portador de bola adversário. Temos de ser mais agressivos, com e sem bola. Não precisamos de fazer tantos passes para chegar à baliza adversária. O Nacional tem bons jogadores e aproveitou muito bem os nossos erros. Hoje a nossa primeira linha de defesa facilitou muito.»

{mp3remote}http://www.onoticiasdatrofa.pt/audio/tulipa(trofense_nacional.mp3{/mp3remote} 

Manuel Machado:

Manuel Machado, treinador do Nacional, em declarações após o triunfo por 2-4 frente ao Trofense para a Taça de Portugal.

«Entrámos bem no jogo e controlamo-lo no plano defensivo desde o início. Marcámos dois golos que nos deram uma boa vantagem e se fossemos uma equipa mais experiente nunca permitiríamos a recuperação do Trofense. As alterações que fizemos resultaram e reequilibraram a minha equipa. Com alguma naturalidade fizemos mais dois golos. Parece-me que a vitória nos assenta bem.»

Sobre a Taça da Liga:
«É um desenho que permite que os grandes cheguem mais longe. É imoral e desportivamente incorrecto. Se quiserem colocar as equipas grandes em fases mais avançadas, que as metam a partir das meias-finais»

{mp3remote width=”501″ height=”414″ autostart=”false”}http://www.onoticiasdatrofa.pt/audio/manuelmachado(trofense_nacional.mp3{/mp3remote}

Ficha do Jogo:
    Jogo no estádio do CD Trofense, na Trofa.

   

    Trofense – Nacional da Madeira, 2-4

   

    Ao intervalo: 1-2

   

    Marcadores:

    0-1, Nenê, 10 minutos.

    0-2, Miguel Fidalgo, 42.

    1-2, Valdomiro, 45.

    2-2, Reguila, 46.

    2-3, Edson, 72.

    2-4, Mateus, 87.

    Equipas:

    – Trofense: Paulo Lopes, Paulinho, Valdomiro, Miguel Ângelo, Tiago Pinto, Edú (Pinheiro, 51), Hugo Leal, Mércio, Edu Souza, Lipatin (Reguila, 27) e Hélder Barbosa (David Caiado, 74).
    
    (Suplentes: Vítor, Areias, Delfim, Reguila, Pinheiro, Zamorano e David Caiado).

    – Nacional da Madeira: Rafael Bracali, Patacas, Halliche, Maicon, Alonso, Edson, Cléber, Luís Alberto (Ruben, 57), Miguel Fidalgo (Mateus, 57), Juninho (Filipe Lopes, 67) e Nenê.

    (Suplentes: Douglas, Filipe Lopes, Bruno Amaro, Ruben, João Aurélio, Mateus e Nuno Pinto).

    Árbitro: Duarte Gomes (Lisboa). 
 
    Acção disciplinar: cartão amarelo a Maicon (68 e 91). Cartão vermelho por acumulação de amarelos para Maicon (91)

  Assistência: cerca de 2.000 espectadores.