benfica-trofense

Na luta pela despromoção, o Trofense, que havia selado o primeiro desaire dos “encarnados” (2-0 em casa), esteve a vencer, com um tento de Valdomiro, permitiu a reviravolta, com dois golos de Cardozo (já soma 15), mas restabeleceu a igualdade, por Paulinho, aos 59 minutos.

 O Benfica ficou hoje praticamente afastado da luta pelo segundo lugar na Liga portuguesa de futebol, depois de ter cedido um empate caseiro frente ao Trofense (2-2), penúltimo classificado, em jogo da 28ª jornada.

Sem Nuno Gomes e Reyes, devido a problemas físicos, o treinador do Benfica relegou o grego Katsouranis para o banco de suplentes, despromovendo também Miguel Vítor, que ficou fora das suas opções.

Apenas com Cardozo na frente, Quique Flores devolveu a titularidade a Luisão, promovendo também Aimar, Urreta e Di Maria à titularidade, no apoio ao paraguaio.

Por seu lado, Tulipa entregou o ataque ao brasileiro Charles Chad, beneficiando do apoio dos médios Pinheiro, Hélder Barbosa e Hugo Leal.

O Trofense protagonizou os primeiros lances de perigo, por Hélder Barbosa, que, aos oito minutos, rematou por cima da baliza, após passe de Pinheiro, e, pelo avançado Charles Chad, que, dois minutos volvidos e em posição frontal, não conseguiu finalizar.

Na resposta, Luisão enviou a bola ao poste da baliza do Trofense (14 minutos), após um canto da direita de Di Maria, que até então protagonizava, infrutiferamente, os ataques dos “encarnados”, tendo assistido, aos 25, Cardozo, que rematou de cabeça por alto.

Aos 28 minutos, um corte deficiente de Zamorano na zona defensiva ofereceu a bola a Cardozo, que, em zona frontal, não conseguiu bater Marco, à semelhança de Urreta e Aimar, em recargas sucessivas.

Três minutos volvidos, Valdomiro marcou para o Trofense, aproveitando um livre cobrado por Hugo Leal, da esquerda, e a displicência da defensiva “encarnada” à entrada da área.

Em desvantagem, o Benfica despertou e ripostou, virando o marcador, ainda na primeira parte, com dois golos de Cardozo.

Primeiro, aos 36 minutos, o paraguaio desviou, em plena área adversária, um cruzamento de Aimar, voltando a marcar, aos 39, concretizando a reviravolta, ao concluir, de cabeça, um cruzamento de Urreta, na direita.

A um minuto do intervalo, o Trofense ainda ameaçou empatar, quando Hugo Leal, novamente de livre, rematou à baliza de Quim, levando o guarda-redes a ceder um canto.

Depois do reatamento, o Benfica tentou incutir mais ritmo ao jogo, obrigando ao recuo de Milton do Ó para a zona defensiva, que, mesmo assim permitiu um remate a Cardozo, da esquerda e de ângulo apertado, que Marco defendeu para a frente (47 minutos).

Refeitos do susto, e após uma das raras incursões da ala direita “encarnada”, após o segundo golo de Cardozo, que culminou com uma defesa de Marco a remate de Maxi Pereira, o Trofense voltou a igualar o encontro, aos 59 minutos.

Novamente na sequência de um livre, desta vez da direita, Hugo Leal assistiu Varela, que, ao segundo poste, cabeceou para a baliza, surpreendendo Quim, mas obrigando Paulinho a confirmar, também de cabeça, o empate.

O angolano Mantorras, que substituiu Di Maria nos últimos 10 minutos, ainda tentou justificar a condição de “talismã”, tentando duas vezes o remate, sem sucesso.

Nos momentos finais, também Aimar e Ruben Amorim visaram a baliza do Trofense, permitindo a defesa a Marco.