Convicto de que o papel das associações e federações académicas “tem sido desvirtuado ao longo dos anos”, o trofense Rui Miguel Silva decidiu propor-se a dar uma pedrada no charco e movimentar as águas no oceano universitário do Minho.

Leia a notícia completa na edição 681 d’O Notícias da Trofa, já nas bancas.