quant
Fique ligado

Edição 657

Trofense abriu loja online para universo infanto-juvenil

Publicado

em

Filipa Barbosa é da Trofa e, no final de 2017, decidiu abrir a KidStuff, uma loja online que agrega marcas nacionais de produtos para bebés e crianças.

Foi a necessidade que aguçou o engenho de Filipa Barbosa para criar a KidStuff. Depois de ser mãe, em 2015, a trofense, emigrada nos Estados Unidos da América, encontrou bastantes dificuldades para comprar produtos para o filho quando regressou ao país. “Deparei-me com o facto de ter que comprar tudo de uma vez só, sem ter referência nenhuma de marcas e sem me identificar com os produtos à venda. Foi nessa altura que me apercebi da existência de uma lacuna no universo do retalho português”, explicou em entrevista ao NT. Mesmo sem experiência na área, decidiu, então, pôr mãos à obra e abrir uma loja online, que agregasse todo o universo infanto-juvenil. A KidStuff abriu em dezembro, em www.kid-stuff.pt, acolhendo marcas e empresas portuguesas, que se destacam pela criatividade. “Abrangente” é um dos adjetivos que caracteriza a loja online. Nela podem ser encontrados artigos de vestuário, acessórios, de decoração (candeeiros, cabides, roupa de cama, almofadas), art-prints, brinquedos e produtos para o enxoval do bebé. Em breve, anunciou Filipa Barbosa, “todas as áreas estarão preenchidas, contando com uma nova, dedicada aos livros”.
Orikomi, Mada in Lisbon, SNUGme, Macaquinhos, MAE Design, Match, Moki&Mar e Cucco são as marcas que podem ser encontradas na loja online. “Os produtos são enviados diretamente através da marca para o cliente final, estado devidamente identificados com labeling da marca. Por isso, o único elemento identificativo da KidStuff, aquando da receção do produto junto do cliente, será a fatura que o cliente recebe e através do nosso saco de envio, com a nossa imagem, que está neste momento em fase final de produção”, explicou. E para tornar a vida dos pais ainda mais fácil, a KidStuff dedica um espaço a serviços de fotografia e eventos, a pensar nos momentos de festa. Para já, na loja existem “algumas sugestões de empresas que se destacam nestas duas áreas” e a curto prazo terá um diretório, onde os clientes “poderão encontrar várias sugestões, de norte a sul do país”, adiantou. Atualmente focada no mercado online, Filipa Barbosa espera fazer a KidStuff prosperar através da internacionalização.

Continuar a ler...
Publicidade
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

Edição 657

A desresponsabilização do passado

Publicado

em

Por

O primeiro-ministro, que é também secretário-geral do partido socialista tem sido bafejado pela sorte por estar a haver uma ligeira retoma económica provocada pela baixa significativa das taxas de juro e pela pujança do comércio internacional. Tudo isto conjugado com uma imprensa muito suave e uma oposição fragilizada tem ajudado António Costa a passar por entre os pingos da chuva nas muitas situações graves que o país tem vivido.
Costa que perdeu as eleições, com uma das mais baixas votações de sempre do partido socialista e que será recordado pela sede desmedida de ser governo a todo o custo continua a estar obcecado pelo poder e a alimentar a sua vaidade desmedida ficando cego, autista e um político perigoso, na pior linha do «socratismo». Exemplo disso é o seu comentário à vitória de Rui Rio nas eleições internas do PSD afirmando que «não será muito difícil ser melhor» que Passos Coelho.
Os políticos que originaram a bancarrota do nosso país em 2011 pertenciam a uma equipa comandada por José Sócrates (o pior primeiro-ministro que Portugal teve em democracia), que tinha como seu número dois o atual primeiro-ministro, António Costa, mas também Augusto Santos Silva e Vieira da Silva, atuais ministros do governo de Portugal. Quando olhamos para a televisão também encontramos diversos membros dessa equipa de políticos incompetentes a comentar a atualidade política, como se fossem os arautos da verdade.
Estes socialistas com o seu «cabotismo» e vaidade, todos eles emproados como pavões falam de ética e moral como se fossem os arautos da honestidade e da verdade, mas esquecem-se que foram eles que nos deixaram um presente envenenado e um futuro hipotecado. António Costa e os seus camaradas de então e de agora desempenharam um papel importante naquilo que aconteceu a Portugal e aos portugueses, mas têm a desfaçatez de tentar ignorar que foram eles que fizeram um apelo à «troika», para nos vir salvar.
A desresponsabilização pelo passado tem sido uma das mais graves debilidades do nosso país e António Costa tem sido um dos principais obreiros, quando ataca sistematicamente o seu antecessor, com o intuito de branquear um passado que deve ser recordado, para que não volte a acontecer o mesmo descalabro das contas públicas, como aconteceu no malfadado «socratismo». Infelizmente!
António Costa tem demonstrado, para além da falta de ética, uma falta de sentido patriótico, ao assinar a posição favorável do partido socialista a listas transnacionais nas eleições europeias. Se assim acontecer haverá uma redução do número de deputados eleitos em cada país, incluindo Portugal. Com esta posição, Costa atraiçoou os países médios e pequenos demonstrando ser um joguete dos poderosos alemães e franceses. É António Costa no seu melhor!

Continuar a ler...

Edição 657

30 universidades apresentaram cursos na Escola Secundária (C/Vídeo)

Publicado

em

Por

Escolher por vocação ou por mais oferta de emprego? Esta é uma das questões que mais ocupam os estudantes quando têm de decidir que caminho optar no Ensino Superior. Para ajudar os jovens no processo de escolha, a Escola Secundária da Trofa promoveu a 20.ª edição da feira formativa com a presença de cerca de 30 instituições. Segundo Fernanda Silva, psicóloga do Agrupamento de Escolas da Trofa, “o objetivo da feira é permitir a exploração das diversas alternativas que os jovens têm depois do 12.º ano, juntando no mesmo espaço as instituições de Ensino Superior da zona Norte, de modo a possibilitar-lhes terem acesso a toda a informação que existe e terem um contacto pessoal com representantes dessas escolas”.
A iniciativa possibilita que os estudantes conheçam de perto as ofertas existentes e tenham um contacto direto com as instituições. E não é só importante para quem está a terminar o Ensino Secundário, mas também para quem está no 9.º ano, porque, sublinhou a psicóloga, “nessa fase os jovens já têm de fazer uma escolha mais concreta sobre o curso onde vão passar o Ensino Secundário, que determina algumas das ofertas a que têm acesso no Ensino Superior”.
Segundo Fernanda Silva, o impacto deste tipo de iniciativas junto dos alunos vai variando ao longo dos anos, pois “depende da capacidade de questionarem” e de “aproveitarem a presença dos representantes das instituições”.
A Universidade do Porto é a instituição que os estudantes da Secundária da Trofa mais procuram no momento de decidirem o futuro académico

 

 

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);