A Trofa esteve nas bocas do mundo ao receber a chegada da segunda etapa da Volta a Portugal. Durante o dia, parte do concelho encheu-se com milhares de pessoas que apoiaram os cerca de 150 ciclistas que percorreram 190 quilómetros desde Oliveira do Bairro.

A estação da CP da Trofa serviu de pano de fundo à zona da meta, onde os corredores passaram duas vezes. Para além de S. Martinho de Bougado, os ciclistas passaram por Covelas e S. Romão do Coronado, onde havia uma meta volante.

O envolvimento do maior evento desportivo de Portugal no verão não passou despercebido por aqueles que quiseram ver a prova ao vivo.

No meio do pelotão, que esteve grande parte do percurso longe da frente da corrida, mas que conseguiu a aproximação nos últimos cinco, estava um atleta que teve um gosto especial por chegar à Trofa. Daniel Silva, ciclista trofense e atleta da Onda Boavista chegou nos primeiros lugares e está no 11º lugar da classificação geral no fim da segunda etapa.

Para além da corrida, a Trofa recebeu uma mega operação logística que potenciou o turismo e o comércio local. Joana Lima estava satisfeita com o sucesso do evento.

Com grande tradição no ciclismo, a Trofa esteve à altura do evento e proporcionou a alguns recordações de momentos gloriosos, como a Marco Chagas, ex-ciclista, que venceu uma Volta a Portugal com a camisola da empresa da Trofa, MakoJeans, em 1983.

A chegada à Trofa foi feita em pelotão compacto com discussão ao sprint. O mais rápido acabou por ser Francesco Lasca, da espanhola Caja Rural, mas a camisola amarela continua em Jay Thompson, da United Healthcare, dos Estados Unidos.

{fcomment}