Zigle Quarteto e Rita Martins Quarteto foram as bandas que participaram em mais uma edição do RotaJazz, que decorreu nos dias 25 e 26 de maio.

Durante dois dias, a comunidade sentiu-se atraída pelo som das melodias do jazz, o que a levou visitar o Bar da Capela, na noite de sexta-feira, ou o cafébar Tentações à Fatia, em Santiago de Bougado, na noite de sábado. Num concerto intimista, Zigle Quarteto, com Hugo Ciríaco Lopes, no saxofone, Miguel Pedrosa, na guitarra, Pedro Silva, no contrabaixo, e André No, na bateria, inaugurou o festival anual de jazz, proporcionando um serão agradável aos presentes.

“Escolhemos alguns temas dos anos 60 e outros mais contemporâneos de anos 80 ou 90, que eram importantes e marcantes no nosso desenvolvimento. Resolvemos fazer as nossas versões e visões desses temas”, afirmou Miguel Pedrosa.

Para o guitarrista, as atividades como o RotaJazz são “muito importantes” para a dinamização da cultura, desafiando a Câmara Municipal da Trofa a “continuar a insistir para que seja possível levar este tipo de projeto e som às pessoas”. Assis Serra Neves, vereador do pelouro da Cultura, fez um balanço positivo deste festival, onde nem o frio afastou o público destas noites diferentes. Uma vez mais, a autarquia da Trofa tenta promover a descentralização, ao levar estas atividades “ao encontro do público”. O vereador frisou ainda o aspeto económico, visto que esta iniciativa teve “custos mais reduzidos”.

Já Rita Martins Quarteto, com Rita Martins, na voz, Nuno Ferreira, na guitarra, Manuel Brito, no contrabaixo, e José Marrucho, na bateria, marcaram presença no Tentações à Fatia.

{fcomment}