A política de saúde do concelho será agora discutida no Conselho Municipal de Saúde que promove a troca de informações e cooperação entre várias entidades ligadas à área dos cuidados de saúde. Este fórum de debate foi criado na passada sexta-feira no Auditório da Junta de Freguesia de Santiago de Bougado e contou com a participação dos vários intervenientes ligados à área da saúde.

Facilitar o acesso de todos aos cuidados de saúde e garantir a igualdade na distribuição de recursos e na utilização de serviços, são alguns dos objectivos da criação do Conselho Municipal de Saúde.

Segundo Jaime Moreira, vereador do Pelouro da Acção Social da autarquia trofense, este “é um fórum de debate de políticas de saúde, onde os parceiros que o compõem vão ter a oportunidade, não só de debater as políticas camarárias, mas acima de tudo desenvolver ideias e projectos para que essas políticas no âmbito da saúde sejam mais assertivas”, explicou.

Assim, a autarquia pretende com a criação do Conselho Municipal de Saúde, proporcionar à comunidade as melhores condições na prestação de cuidados de saúde, desenvolvendo acções de sensibilização e informação e iniciativas com vista à melhoria da saúde e da qualidade de vida.

“O que se pretende é juntar os interlocutores que trabalham em prol da saúde, do bem-estar e da qualidade de vida das pessoas e constituir um fórum que estabeleça políticas de saúde para o concelho. Cada um com a sua autonomia, mas que seja este o local onde se perspective qual a melhor actuação para o concelho, aproveitando as partes, no sentido de haver êxito na área da prevenção da toxicodependência, ou da prevenção das doenças com os rastreios”, explicou o edil trofense, Bernardino Vasconcelos.

Para Renato Sampaio, responsável pelo Centro de Saúde da Trofa, o concelho está “em vantagem” ao nível da saúde quando comparado com outras cidades da Área Metropolitana do Porto, por isso, também se mostrou satisfeito com a criação deste Conselho. “Agora podemos ter um espaço próprio, uma altura certa para podermos conversar e ter conhecimento do que se está a passar no concelho em termos de saúde, porque como também foi referido o importante é fazermos a prevenção e essa prevenção passa por uma data de entidades que têm de conversar umas com as outras”, afirmou.

Neste fórum, aberto a todos, será discutido o funcionamento dos Centros de Saúde, o acompanhamento e apoio domiciliários, e até a coordenação com as farmácias.

No entanto, como adiantou Jaime Moreira “os pareceres que dali saem não são vinculativos são meras ideias, projectos, acompanhamentos e sugestões para a resolução dos problemas”.

Fazem parte do Conselho o Presidente da Câmara, o representante da Assembleia Municipal, o representante do Hospital da Trofa, o representante do Centro de Saúde da Trofa, a Delegada de Saúde da Trofa, o representante das Farmácias do Concelho, o representante da Santa Casa da Misericórdia da Trofa, da Associação de Solidariedade e Acção Social, da ASAS, nomeadamente do Grupo de Apoio a Alcoólicos, o representante da Cruz Vermelha Portuguesa, da Cooperação de Bombeiros Voluntários da Trofa, dos presidentes de Junta de Freguesia, da Comissão Nacional de Luta Contra a Sida e o representante do Instituto da Droga e da Toxicodependência.

{flvremote width=”500″ height=”415″}http://trofa.otos.tv/videos/conselho_municipal_de_saude.flv{/flvremote}