O Tribunal Constitucional (TC) aprovou a providência cautelar que o núcleo de Santiago de Bougado interpôs contra a fusão da freguesia com S. Martinho de Bougado.

Depois de enviar uma intimação judicial à Unidade Técnica, em dezembro de 2012, os socialistas bougadenses avançaram mesmo com uma providência cautelar que, ao que o NT conseguiu apurar, teve “luz verde” do TC, o que inviabiliza a pronúncia da Unidade Técnica que avançou com a agregação de Santiago e S. Martinho de Bougado.

Esta decisão do TC motivou outras forças políticas do concelho avançassem com providências cautelares contra a agregação de S. Mamede com S. Romão do Coronado e de Alvarelhos com Guidões.

Outras freguesias do país também deverão seguir os mesmos passos.

Reportagem alargada na próxima edição do NT, quinta-feira nas bancas.”.