Arriva e Rodoviária entre Douro e Minho são as duas empresas que desde segunda-feira asseguram os transportes alternativos entre a Trofa e a Maia que substituem o comboio, cuja linha foi desactivada. A empresa garante que em média são 700 as pessoas que usam este transporte todos os dias.

 

A ligação entre a Trofa e a Maia foi melhorada com o novo modelo de operação nos transportes alternativos na Linha da Trofa, iniciado pela Metro do Porto, na passada segunda-feira, no troço de ligação ainda não construído entre as duas cidades.

O serviço de transportes alternativos passa a ser assegurado por autocarros das empresas Arriva e Rodoviária Entre Douro e Minho. Ao nível dos horários foram efectuados alguns ajustamentos no sentido de “se adaptarem melhor à procura”, de acordo com o comunicado da Metro do Porto, enviado à Agência Lusa. Sem alteração permanecem o itinerário da viagem, as localizações das paragens e o tarifário.

Segundo a Metro do Porto, com os novos transportes alternativos, a ligação entre a Trofa e a Maia fica assegurada com uma frequência de 30 minutos nas horas de ponta e de 60 minutos nos restantes períodos do dia. Com esta alteração, o objectivo é “disponibilizar um serviço de qualidade, com uma oferta mais adequada à procura”, como indica o documento. Ainda segundo dados revelados pela empresa, cerca de 700 pessoas usufruem, em média, diariamente, do serviço de transportes alternativos.

No início de 2009, a Metro do Porto vai lançar o concurso público internacional para a construção do troço ISMAI/Trofa da Linha Verde, em via dupla. A existência de transportes alternativos neste troço resulta de uma imposição legal, que obriga a empresa a disponibilizar transporte público entre a Trofa e a Maia, desde o momento em que foi desactivada a antiga linha ferroviária até à entrada em funcionamento deste novo troço do Metro do Porto.