Na investigação efetuada pelo NIC de Santo Tirso a uma rede de tráfico de droga desmantelada no verão passado, há referências de que traficantes venderam droga a alunos da Escola Secundária.

Alunos da Escola Secundária da Trofa eram alguns dos clientes dos traficantes de droga que pertenciam a uma rede organizada, desmantelada no verão do ano passado pelo Núcleo de Investigação Criminal de Santo Tirso da Guarda Nacional Republicana. Nas investigações, há referências de que a estrutura organizada comercializava, junto desses alunos, haxixe, marijuana e, em menor escala, drogas duras.

Da Trofa, destaca-se ainda um grupo que traficava ecstasy, deslocando-se à Holanda para o adquirir. O estupefaciente vinha em forma de cristais, para ser, posteriormente, vendido a frequentadores de festivais e de estabelecimentos de diversão noturna. O líder, de 35 anos, contava com a colaboração de um estudante universitário para angariar clientes.

Estes são alguns dos resultados obtidos pelo NIC de Santo Tirso sobre a rede que foi desmantelada e da qual faziam parte 41 elementos, que foram acusados pelo Ministério Público.

Os suspeitos são oriundos da Trofa, Vila Nova de Famalicão, Santo Tirso, Braga, Paços de Ferreira, Fafe e Felgueiras. Seis estão em prisão preventiva e dois em prisão domiciliária a aguardar julgamento.

Esta rede funcionava com vários circuitos independentes, mas ligações entre alguns elementos permitiram aos investigadores desmantelarem-na numa mega-operação que durou cerca de nove meses.

Recorde-se que, a 24 de julho de 2010, o NIC de Santo Tirso efetuou 30 buscas e deteve 11 indivíduos, três dos quais da Trofa. A operação culminou também na apreensão de mais de um quilo de cocaína com elevado estado de pureza, oito viaturas topo de gama, uma mota de água, dez computadores, três armas brancas e 15 mil euros em notas.

Três dos indivíduos foram detidos na Trofa, em Santiago de Bougado. Um era português e os outros dois de nacionalidade brasileira. Foram detidos por suspeita de serem distribuidores de drogas no concelho, onde a sua atividade incidia principalmente no Parque Nossa Senhora das Dores.

Na Trofa foram realizadas buscas em três casas na freguesia de Santiago de Bougado – onde foram encontradas algumas quantidades de drogas duras e sintéticas – e a uma rulote, onde morava um dos cidadãos brasileiros, que foi detido, estacionada nas traseiras de um restaurante no lugar da Maganha na mesma freguesia, onde foi encontrado diverso material para transformação de droga.

Dois empresários de Braga, dos principais suspeitos da investigação, são apontados como fornecedores de haxixe e cocaína. Nas conversas telefónicas, utilizavam linguagem em código, e escondiam a droga numa mata em Mindelo, Vila do Conde, perto de uma estação do metro, onde a enterravam.

Do processo consta ainda outro empresário de Santo Tirso, suspeito de distribuir o produto a outros vendedores e consumidores, pelos vales do Ave e do Sousa.

{fcomment}