Os números não deixam margem para dúvidas… Os funcionários da Câmara Municipal da Trofa adoeceram mais em 2010 do que em 2009 e trabalharam menos horas suplementares em 2010. Autarquia reduziu em 12,5 por cento (55 pessoas) o número de trabalhadores no ano passado.

Em 2010, os funcionários do município da Trofa trabalharam menos 9579 horas extras que em 2009.

Os dados constam da publicação intitulada “Caracterização dos Recursos Humanos dos Municípios da Região do Norte – Dados de 2010”, da CCDR-N – Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, publicada em meados de agosto.

Este trabalho compila um conjunto de dados sobre os recursos humanos integrados nos municípios, incluindo graus de qualificação, formação profissional, formas de contratação ou vinculação, remunerações associadas e absentismo. Apresenta ainda uma análise à variação dos efetivos totais entre 2009 e 2010 e a sua relação com a população concelhia.

Neste documento tem particular destaque o facto dos trabalhadores do município da Trofa terem feito 4767 horas extras em 2010, um número que reduziu drasticamente quando comparado com as 14346 horas extra de 2009.

Através deste documento ficamos também a saber que faltaram no ano passado 8546 horas um número bastante superior às 8081 horas em 2009. No que respeita às faltas por doença em 2010 registaram-se 6449 horas contra as 4941 horas de falta pelo mesmo motivo no ano 2009.

A autarquia trofense reduziu em sete por cento o número de funcionários entre 2009 e 2011 numa medida de “poupança” que não põe em causa o funcionamento dos serviços municipais, adiantou a presidente da Câmara Municipal da Trofa, Joana Lima.

Este estudo é, de acordo com a CCDR-N “uma ferramenta que pretende constituir uma radiografia dos recursos humanos dos Municípios da Região, elaborada com base no balanço social destas autarquias locais, e uma informação pública, útil e transparente, sobre o pessoal efectivo das câmaras municipais da Região e sua evolução recente”.

No total, contabilizavam-se no final do ano passado 42.200 funcionários nas 86 autarquias da Região Norte.

Das conclusões salienta-se que, em 2010, houve uma diminuição líquida de menos um por cento de trabalhadores em comparação com o ano transato, justificada pela não substituição de trabalhadores. {fcomment}