“Desejo que torneis a Páscoa atual na humanidade de hoje”, foi a mensagem de D. Policarpo, Cardeal Patriarca de Lisboa.

Segundo a minha interpretação, o sentido que o nosso Cardeal Patriarca quer dar à mensagem é tão válido para Cristãos como para os Não Cristãos.

Acima de tudo, é uma mensagem de esperança nos tempos difíceis que os portugueses atravessam. Sendo de esperança, não é lírica.

É certo que o ponto de partida da sua comunicação é um momento de extrema importância para a Comunidade Cristã, mas o alcance da mesma é válido para todos.

Como afirmou D. José Policarpo, em toda e qualquer situação, por pior que seja ou possa parecer, podemos encontrar um sentimento positivo, uma oportunidade de fazer diferente e fazer melhor.

Esta é uma altura em que devemos pensar desse modo. Devemos esforçar-nos por nos libertar das notícias que inundam o quotidiano e tentar caminhar com positividade.

Claro que não devemos meter a cabeça na areia. É obvio que a solução de fazer melhor e diferente passa por uma análise do que fizemos até agora, mas não adianta martirizarmos pelo que fizemos de menos bom.

 

É tempo de diminuir despesas do orçamento familiar. É altura de cortar nas despesas supérfluas do nosso orçamento, se é que ainda existem.

É altura de unir os esforços e olhar para o futuro.

Um futuro que pode ser difícil, é certo, mas pode ser menos pesado se for encarado como uma oportunidade.

Nestas situações, são aqueles que queremos bem que devem ser o centro da nossa atenção, seja a família, os amigos ou os colegas de emprego.

Enfim, sem stress tentar melhorar a nossa forma de viver e conviver!

BOA PÁSCOA!

 

Tiago Vasconcelos