Escritura Pública salvaguarda Parque

A propriedade de parte dos terrenos do parque Nossa Senhora das Dores, reclamada através de escritura publica pela Camara Municipal da Trofa está a ser contestada pelo executivo da Junta e por algumas dezenas de moradores de S. Martinho de Bougado.

  De acordo com uma certidão, datada de 1944, a que o NT teve acesso, Joaquim da Costa Pereira Serra, doou à  Junta de Freguesia de S.Martinho de Bougado "cinco sortes ou leiras, com excepção da área ocupada pela Capela e pelo adro morado". Na certidão de doação assinada pelo então presidente da Junta de Freguesia, António de Sousa Abreu além da doação está ainda previsto que a Junta "mantenha sempre bem arvorisadas tais leiras, e a destinem a logradouro publico, não podendo, a outro fim, serem destinadas…". Assim, de acordo com o documento, não só a propriedade é comprovadamente da Junta de Freguesia de S.Martinho de Bougado, como estes terrenos não poderão ser usados para outro fim que não seja o de parque e jardim.

Na ultima Assembleia de Freguesia de S.Martinho de Bougado, que decorreu na passada segunda-feira, José Sá, presidente do executivo garantiu que a Junta de Freguesia não vai permitir a usurpação da propriedade daqueles terrenos, sossegando assim as dezenas de trofenses que se encontravam na Assembleia.

O NT tentou ouvir o presidente da Camara Municipal da Trofa mas, por estar de ferias, o autarca remeteu para a próxima semana alguns esclarecimentos sobre este e outros assuntos ( linha do metro).

Assembleia aprovou contas

A Conta de Gerência e Saldo do Ano 2006 foram aprovados por maioria, na última Assembleia de Freguesia de S.Martinho mas a oposição pediu esclarecimentos ao executivo relativamente ao aumento de despesas com o pessoal, assim como relativamente às despesas correntes. O tesoureiro explicou que "o aumento do valor de despesas com pessoal tem a ver com os pagamentos das prestações à Caixa Geral de Aposentações" e que "o valor elevado do saldo que transitou de 2005 para 2006 tem a ver com os subsídios em atraso pagos pela Camara Municipal da Trofa. Em Dezembro", frisou.

No período de intervenção do público, vários habitantes usaram da palavra para questionar o executivos sobre obras, sobre a polémica que envolve os terrenos do Parque Nossa Senhora das Dores, as obras de alargamento de cemitério e a legalização dos terreno para a construção do Complexo Desportivo da Associação Vigorosa.