tertuliatca

Consumo de drogas e bebidas alcoólicas estiveram no centro do debate da tertúlia, organizada pelo Projecto TCA – Trofa Comunidade de Aprendentes, subordinada ao tema “Os Perigos da Noite”. As cadeiras da biblioteca da Escola E.B. 2,3 de Alvarelhos foram insuficientes para os jovens e pais que se juntaram, na passada sexta-feira, para mais um momento de aprendizagem e reflexão, desta vez incidida nos perigos das saídas à noite.

 Sensibilizar e alertar os jovens em idade escolar e os respectivos pais para os riscos do ambiente nocturno foram os grandes objectivos do encontro, que contou com a participação de um membro da GNR e da proprietária do M18 Bar, situado na Trofa.

“O grande objectivo destas tertúlias é trazer os pais à escola para virem numa função diferente da que costumam vir, queremos que eles venham como aprendentes para verem a escola de uma outra perspectiva”, explicou ao NT Albina Costa, do Projecto Trofa Comunidade de Aprendentes. De acordo com a responsável, o tema da tertúlia foi pedido pelos alunos da escola, que se encontram agora numa fase de desenvolvimento de interesse e curiosidade virada para o ambiente nocturno. “Eles estão agora a despertar para as saídas à noite e apercebem-se, através das notícias, de que há alguns perigos e como são meninos conscientes querem tomar consciência desses perigos”, afirmou Albina Costa.

Convidados pelo TCA para fomentarem os momentos de aprendizagem na tertúlia e partilharem os seus conhecimentos e experiências relativamente ao tema, Domingos Monteiro, da GNR, e Gabriela Alves, proprietária de um bar na Trofa, abordaram os problemas relacionados com o consumo de drogas e bebidas alcoólicas, entre outros, apresentando vários conselhos e medidas a pôr em prática para os jovens usufruirem da diversão da noite de uma forma consciente e segura.

“Dado que esta faixa etária da comunidade estudantil do segundo e terceiro ciclo ainda não está muito ambientada na noite, tentei adaptar o tema baseado no conhecimento que tenho no ensino diurno que faço normalmente todos os dias junto da comunidade estudantil”, afirmou ao NT Domingos Monteiro, da GNR e responsável da “Escola Segura”. O contributo do agente Monteiro na tertúlia passou por “aconselhar os pais a não prenderem muito os filhos em casa, mas acompanhando-os sempre”. “Se o filho tiver curiosidade de ir até um bar, os pais devem fazer o sacrifício de acompanhá-lo para o libertar um pouco e dar-lhe a conhecer o que é a vida nocturna, nunca aconselhando a frequentar lugares como discotecas porque são idades ainda muito jovens”, salientou.

Por sua vez, Gabriela Alves, proprietária do bar M18, situado na Trofa, salientou a importância de consciencializar os jovens para as consequências do consumo excessivo de álcool. Apesar de ser o fruto do seu negócio, Gabriela Alves reconhece os conflitoss que dele podem surgir. “O álcool é para mim um dos grandes problemas, os miúdos começam a beber muito cedo e consomem bebidas perigosas, fazem misturas e não têm bem a noção das proporções disso”, considerou, em declarações ao NT. “É importante que os miúdos saibam que têm de estar alertas e nós, enquanto proprietários de bares numa cidade não muito grande como a Trofa, temos um pouco o papel de ‘fazedores de opinião’, temos de questionar e alertar os jovens”, realçou Gabriela Alves, considerando “muito importantes” as “limitações que existem hoje em dia nas saídas à noite especialmente em relação ao álcool.” “Nós proprietários de bares temos um papel importante de consciencialização, porque os miúdos iam dos bares para outros sítios mas agora também ficam. Temos de os ensinar a beber e continuar o trabalho que a escola e os pais fazem”, frisou.