trofense.jpg

 

 

 

 

 

Foi com um golo, mesmo ao cair do pano, que o Trofense consentiu a perda de mais três pontos

 importantes na manutenção do primeiro lugar da 2ª Divisão, série A. O treinador do actual líder do campeonato, Daniel Ramos, afirmou que a equipa de arbitragem “com habilidade soube criar dificuldades ao Trofense”.O Clube Desportivo Trofense perdeu com o Sporting de Braga B e viu, assim interrompida a série de três vitórias consecutivas.

Tudo indicava para um empate a zero bolas entre as duas equipas, mas os arsenalistas não desistiram e, à passagem do minuto noventa, marcaram por intermédio de Pedro Pereira.

O jogo não começou bem para o Trofense, que cedo teve de proceder à primeira substituição, fruto da lesão de Alex. Daniel Ramos fez entrar para o seu lugar, o venezuelano Marcos. Até aos últimos minutos da primeira parte, o trio ofensivo do Braga causou algumas “dores de cabeça” ao líder, sublinhando a sua intervenção com vários remates á baliza de Vítor.

Acusando uma certa lentidão na transição defesa-ataque, o Trofense, antes do apito para o intervalo, conseguiu criar perigo, por intermédio de Reguila, que numa excelente jogada individual, assistiu Vítor Hugo, que rematou para a baliza, mas permitiu a defesa do guardião adversário. Os adeptos trofenses contestaram a decisão do árbitro, alegando que o esférico teria ultrapassado a linha de golo.

Com as substituições, os arsenalistas dominaram a segunda metade da partida e, Pedro Pereira fazendo jus à sua boa exibição, brindou a sua equipa com um golo, mesmo ao cair do pano.

Daniel Ramos, insatisfeito com a arbitragem afirmou “muito dificilmente ganharíamos o jogo, já que a arbitragem, com habilidade soube criar dificuldades ao Trofense e exagerou na marcação das faltas contra a minha equipa”.

O suposto golo “fantasma” mereceu o seguinte comentário do treinador: “Não compreendo como é que um lance, em que fizemos golo, a bola ultrapassou a linha de golo e o árbitro assim não o entendeu. Faz-me lembrar um lance do Ricardo, guarda-redes do Sporting um jogo”. Apesar destes acontecimentos “o Trofense procurou sempre a vitória. Lamento termos sofrido o golo mesmo no fim do jogo. No mínimo merecíamos o empate”, sublinhou.

No que diz respeito aos outros jogos efectuados, o Ribeirão empatou 0-0, no Passal, com o Camacha, o Freamunde venceu o Vilaverdense com três tentos sem resposta, o Fafe perdeu no seu reduto com o Valdevez, por 1-2 e o Lixa venceu fora com o Torcatense, também por duas bolas a uma.

O segundo classificado, União viu o seu jogo com o Portosantense ser adiado aos 33 minutos, devido à lesão grave do árbitro Paulo Silva. O resultado fixou-se em 0-0, quando as equipas se voltaram a defrontar, na passada segunda-feira.20ª Jornada – 2ª Divisão Nacional, Série A

Jogo: Estádio 1º de Maio, em Braga

Sp. Braga B: Eduardo, Queirós, Miguel, Paulo Monteiro, Daniel, Filipe (João Cardoso 81’), André, Pedro Pereira e Luisinho, João Pedro (Diego 72’) e Diego Costa (Rodrigo Dantas 62’)

Treinador: Micael Sequeira

C.D. Trofense: Vítor, Maia, Alex (Marcos 13’), Michel, Leonardo, Costa (Mateus 51’), Américo, Shéu, Major, Vítor Hugo (Zé Miguel 69’) e Reguila

Treinador: Daniel Ramos

Cartões Amarelos: Daniel, André e João Cardoso, do Sp. Braga B; Leonardo, Américo, Shéu, Maia e Reguila, do Trofense

Árbitro: Arnaldo José Araújo

Marcadores: Pedro Pereira (90’)

Resultado ao intervalo: 0-0Classificação 2ª Divisão, série A

01º – Trofense – 37 pontos

02º – União – 33 pontos

03º – Portosantense – 28 pontos

04º – Ribeirão – 27 pontos

05º – Famalicão – 25 pontos

06º – Lixa – 24 pontos

07º – Fafe – 23 pontos

08º – Sandinenses – 22 pontos

09º – Camacha – 22 pontos

10º – Freamunde – 22 pontos

11º – Sp. Braga B – 19 pontos

12º – Vilaverdense – 18 pontos

13º – Valdevez – 17 pontos

14º – Torcatense – 12 pontos