tulipa_setubalO Trofense atravessa “uma situação difícil, mas não impossível”. Esta é, pelo menos, a convicção de Tulipa que, em conferência de imprensa de antevisão ao jogo com o Marítimo, afirmou que ainda há tempo para “respirar” e conseguir o objectivo. Um “indicador importante” que faz o técnico pensar assim é o facto de “na dificuldade a equipa respondeu sempre”.

As duas semanas que o conjunto da Trofa teve para preparar o jogo com os insulares serviram para, segundo o técnico, pensar na melhor forma de conseguir contrariar uma boa equipa. “Joga bem no seu estádio, que pressiona, mas também comete erros e tem fragilidades. Temos que tirar proveito desta situação”, referiu.

Apesar das limitações referentes a lesões, que impedem Tulipa de utilizar Tiago Pinto, Delfim, Mércio e Edu Souza, o técnico afirmou que o tempo de interregno do campeonato foi um “aliado”.

“Permitiu trabalhar outros atletas em posições que não são habituais para eles, mas a equipa vai necessitar do seu esforço e da sua dedicação”, acrescentou.

Os oito jogos que faltam assumem-se como verdadeiras “finais” para o Trofense e a jogar fora, apesar de parecer ter melhores resultados, foi em casa que conseguiu mais pontos (11 pontos contra sete fora).

“Se tivermos espaço, somos uma equipa mais consistente e mais forte, como provamos no jogo com o Guimarães, um adversário bom e de qualidade. Temos que nos adaptar a todas as equipas e a todos os campos”, afirmou.