O parque de estacionamento do edifício da Câmara Municipal da Trofa transformou-se no palco da manifestação dos funcionários públicos da autarquia, que reclamam a devolução das 35 horas de trabalho semanal.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) convocou uma concentração e reuniu-se em plenário, na manhã de 14 de novembro, para reivindicar que a Trofa “deixe de ser a única autarquia do distrito do Porto” que ainda não se sentou à mesa para ouvir as aspirações dos colaboradores.

“Por email, a Câmara tinha-nos dito que estava à espera da posição da Área Metropolitana do Porto, mas a verdade é que todos os concelhos que dela fazem parte já assinaram acordos ou estão a praticar as 35 horas de trabalho. Pensamos que a Trofa não é uma ilha e que se deve integrar no grupo das outras câmaras”, afirmou João Avelino, dirigente do STAL.

 

Leia a reportagem completa na edição nº 498 do jornal O Notícias da Trofa, disponível num  quiosque perto de si ou por PDF.