“Este caminho de Jesus também é um pouco o nosso”. É desta forma que Rui Teixeira interpreta a via-sacra, encenação da qual fez parte como Jesus Cristo. O presidente do Grupo de Jovens de Alvarelhos, que organizou a atividade na freguesia, na Sexta-Feira Santa, a 18 de abril, entre a Igreja Matriz e a Capela de S. Roque, estava emocionado por ter representado o papel de Jesus Cristo.

O trabalho feito o ano passado, e que não foi posto em prática devido ao mau tempo, transitou para este ano e o grupo conseguiu fazer uma encenação com a participação de “60 figurantes” entre elementos de grupo e outras pessoas “que também quiseram ajudar”.

“O caminho é sofredor e até violento, mas demonstra perfeitamente o que Jesus viveu. São horas intensas, mas os momentos ficam marcados para a vida”, sustentou Rui Teixeira.

A via-sacra contou com a presença de centenas de pessoas, que acompanharam a encenação ao longo de duas horas. “Há sempre uma grande participação, à exceção de anos em que está a chuviscar ou muito frio. O percurso também tem uma influência, mas este era muito bom, o que trouxe mais gente, certamente”, afirmou José Ramos, pároco de Alvarelhos.

A via-sacra é o “momento alto” da atividade do Grupo de Jovens, que atualmente tem cerca de 30 elementos. Ao longo do ano também faz o presépio, orações Taizé, peregrinação a Fátima encerramento do mês de Maria.