Sérgio Humberto foi reeleito líder da Comissão Política Concelhia do PSD da Trofa. O Social-democrata não se assume como candidato à Câmara Municipal.

Não restaram dúvidas quanto à pretensão dos militantes do PSD Trofa. Sérgio Humberto continua a liderar os destinos da Comissão Política Concelhia (CPC) do partido, depois de nas eleições ter sido eleito com 386 votos, sem brancos nem nulos.

Num universo de 973 militantes com capacidade eleitoral, mais de um terço disseram “sim” à lista apresentada pelo social-democrata.

Sérgio Humberto foi eleito para um mandato cujo tempo de duração será utilizado na “preparação de um projeto para apresentar aos trofenses” nas próximas autárquicas, em 2013, para “devolver a voz e o poder à população”, referiu o líder da CPC, em entrevista ao NT e à TrofaTv.

No entanto, ter sido eleito “comandante” dos destinos do partido no concelho não é sinónimo de candidatura assumida à Câmara Municipal da Trofa: “Eu vou ter a responsabilidade, enquanto presidente da CPC, de liderar os destinos desse órgão, que no fundo vai indicar o futuro candidato à Câmara Municipal”. Sérgio Humberto justificou que essa decisão tem de ser tomada depois de auscultada “a população”, obedecendo aos “princípios que sustentam o partido”.

O social-democrata é reeleito numa estrutura que sofreu um duro golpe, em 2009, nas eleições autárquicas: “Na altura, muitos militantes pensavam que o partido esteve quase para fechar portas. Tivemos um longo caminho para percorrer, com muito trabalho visível no exterior, mas também interior, no sentido de reorganizarmos o partido”.

Sérgio Humberto está na lista candidata do partido pelo distrito do Porto e pode ser chamado, a qualquer altura, para integrar um lugar no Parlamento. Apesar disso, o social-democrata garante que vestirá sempre a camisola da Trofa por cima da do partido. “Nasci, cresci e vivo na Trofa, por isso estou aqui para defender os interesses do concelho, mesmo se tiver de ir contra o partido. Tentaremos sempre demonstrar ao partido a sensibilidade pela causa trofense, mas se não houver anuição defenderei a Trofa em primeiro lugar”, garantiu.Hoje, as pessoas que integram os novos órgãos políticos da CPC do PSD da Trofa “são nomes muito válidos e que vão acrescentar valor em experiência, capacidade e, acima de tudo, motivação”, justificou.

Aquando da eleição do líder da CPC, foram ainda compostos os núcleos de freguesia de S. Martinho de Bougado (liderado por Jorge Campos), Santiago de Bougado (Filipe Couto Reis), Alvarelhos (Joaquim Oliveira), Guidões (Joaquim Ferreira) e Muro (Armando Sanches).

Apesar da tinta que corre todos os dias sobre a Reforma Administrativa, que sugere a fusão das freguesias, Sérgio Humberto afasta euforias, frisando que “o Livro Verde não é um documento fechado” e que “incentiva as próprias câmaras municipais a promoveram a discussão pública e a apresentarem as suas propostas ao Governo Central”.

“Era fundamental que as câmaras desenvolvessem esse processo de discussão, que ouvissem os órgãos, as assembleias de freguesia, a assembleia municipal e a população da Trofa, relativamente à fusão das freguesias”, sublinhou.

Para a mesa de plenário do partido foi eleito Jaime Moreira, com 375 votos, nove brancos e dois nulos.

{fcomment}