Sérgio Humberto apresentou a candidatura à Câmara Municipal da Trofa. O cabeça de lista pela coligação Unidos Pela Trofa à autarquia juntou centenas de pessoas na Alameda da Estação, para a apresentação oficial da corrida ao terceiro e último mandato consecutivo.

Assumindo que conseguiu restituir o “bom nome” da Trofa ao longo dos últimos oito anos, Sérgio Humberto garantiu que a recuperação financeira se saldou no abate de “47 milhões de euros” à dívida municipal, “sem descurar o investimento”.
“Hoje, temos desenvolvimento em todas as oito freguesias, um Parque Nossa Senhora das Dores e Dr. Lima Carneiro, uma Alameda da Estação, um Parque das Azenhas, estradas requalificadas e cada vez vamos ter mais”, atestou o candidato, que sublinhou ainda a aposta pela construção de “mais passeios” e “novos abrigos para os transportes públicos (paragens de autocarro)”. Garante que “a Trofa capta novos investidores” e, por isso, “foram criadas centenas de novas empresas”.
Na Educação, acrescenta, o concelho conta com “um parque escolar coeso”, muito graças aos “dez milhões de euros investidos”.
Com este cenário – a juntar ao que diz ser a “situação geográfica” e a “mão de obra qualificada” -, Sérgio Humberto está convicto de que o concelho tem todas as condições para competir com outros na assunção de responsabilidades, numa hipotética aplicação da lei da regionalização. “A Trofa está a posicionar-se para ser a capital da região Norte”, garantiu.

Quanto ao futuro, o candidato diz que já começou, com a redução do preço da água, resultado de uma “negociação” com a Indaqua. “Os trofenses notarão uma redução média de cerca de 35 por cento na sua fatura de água. Isto é obra”, referiu, para logo depois anunciar a meta utópica de o concelho alcançar “100 por cento da cobertura de água”, com “a antecipação de investimento de 1,4 milhões de euros”. “E começamos já na freguesia de Covelas”.
Como presidente em funções, Sérgio Humberto tirou, por momentos, o fato de candidato para se congratular pelo funcionamento do centro de vacinação, que não se cansa de elevar a “um dos melhores do país”, e “anunciar” que “60 por cento da população do concelho com mais de 18 anos já foi vacinada com a primeira dose e 40 por cento da população conta já com ciclo de vacinação completo”. Quanto à variante à Estrada Nacional 14, Sérgio Humberto referiu, de “fonte fidedigna”, que as obras “arrancam em setembro e outubro”. Já a nova ponte sobre o Rio Ave, “será lançada ainda este ano”, apregoou.
Entre as propostas que farão parte do manifesto eleitoral, o candidato divulgou a construção “da praça do município”, de uma “área desportiva”, de um “auditório/museu” e de um “cemitério municipal”. Além disso, Sérgio Humberto compromete-se a “baixar os impostos, responsavelmente” e requalificar vários espaços públicos, como “o Souto da Lagoa, de Bairros e o centro cívico de Alvarelhos”.
Porém, a promessa mais ambiciosa da candidatura foi deixada para o fim. De bandeira da Trofa às costas, o candidato fez saber que esta será a obra que “mais gozo” lhe dará, se for reeleito: a construção de uma réplica da Ponte Pênsil, no âmbito do projeto de alargamento do Parque das Azenhas “até Bairros e até à Ponte da Lagoncinha”.
Marques Mendes foi o histórico social-democrata convidado para mostrar apoio à candidatura. De visita à Trofa, puxou dos galões de analista político para vaticinar sobre o futuro de Sérgio Humberto: “Daqui a quatro anos, quando não se puder candidatar-se mais a presidente de Câmara, vai começar uma carreira política a nível nacional de grande sucesso”. E apelou ao “voto reforçado” na coligação Unidos pela Trofa, porque, argumenta, “quanto mais votos tiver, mais força ele tem para bater o pé junto de Lisboa e reivindicar para a Trofa aquilo que ela precisa”. Além de Marques Mendes, a iniciativa contou ainda com a presença de Pedro Mota Soares, antigo governante do CDS-PP, e do empresário José Manuel Fernandes, que é o mandatário da candidatura. Xavier Costa é o mandatário da juventude.