quant
Fique ligado

Edição 771

Senhora das Dores com dez dias de festa e andores na rua

Mónica Sintra é a cabeça de cartaz das festas de Nossa Senhora das Dores. A cantora atua na sexta-feira, dia 19 de agosto. DJ vão animar noitadas na Alameda, haverá comédia, tunas e fados de Coimbra. A procissão de domingo, 21 de agosto, é o ponto alto das celebrações religiosas.

Publicado

em

Mónica Sintra é a cabeça de cartaz das festas de Nossa Senhora das Dores. A cantora atua na sexta-feira, dia 19 de agosto. DJ vão animar noitadas na Alameda, haverá comédia, tunas e fados de Coimbra. A procissão de domingo, 21 de agosto, é o ponto alto das celebrações religiosas.

Já é conhecido o programa das festas em honra de Nossa Senhora das Dores. Mesmo com reconhecida “dificuldade”, a comissão de festas representante dos lugares de Finzes Castêlo conseguiu garantir dez dias de animação, que terá como momentos altos a noite de sexta-feira, com concerto de Mónica Sintra, e a tarde de domingo, com o regresso, aos moldes habituais, da majestosa procissão, que terá na rua os dez andores gigantes que atraem sempre milhares de pessoas ao coração da cidade da Trofa.
Este ano, a festa estende-se do Parque Nossa Senhora das Dores até à Alameda, onde estarão instalados bares para atrair a população mais jovem. Aí, haverá DJ a rodarem música a partir da meia-noite, de 13 a 20 de agosto.
O programa tem início no sábado, dia 13 de agosto, com passe cales de tunas pelos cafés da cidade, a partir das 15h00, seguido de um festival de tunas, na Alameda da Estação.
A 14 de agosto, há música de Miguel Ângelo Costa e da banda Cão Voador, a partir das 21h30, na Alameda da Estação.
No feriado de 15 de agosto, a tarde começa com cantares ao desafio, pelas 15h30, seguidos do cortejo de Finzes. À noite, faz-se silêncio para se ouvir fados de Coimbra, também na Alameda, a partir das 22h00.
Os Sons e Cantares do Ave iniciam a noitada de 16 de agosto, com espetáculo às 20h30, na Alameda da Estação, onde estará também o palco para o show de comédia, com Miguel 7 Estacas e João Seabra, às 22h00.
Quarta-feira, dia 17, dá início à jornada musical a Banda da Trofa, com um concerto na Concha Acústica do Parque Nossa Senhora das Dores, às 20h00. Às 22h30, na Alameda, o palco é da responsabilidade Pearl Band, conjunto que faz tributo à banda britânica Pearl Jam.
A Concha Acústica recebe, às 21h00 de 18 de agosto, a Orquestra Ritmos Ligeiros. Na mesma noite, às 22h30, a banda The Cover Van atua na Alameda da Estação.
Na sexta-feira, às 22h00, Mónica Sintra enche o palco da Alameda, e o fim de semana é dedicado à Banda de Música da Trofa, que atua nos coretos do Parque Nossa Senhora das Dores, das 14h30 até à meia-noite de sábado, altura em que começa a sessão de fogo de artifício, na antiga ponte da Estrada Nacional 104. Já no domingo, a Banda dá entrada às 09h30, permanecendo por todo o dia, no Parque Nossa Senhora das Dores.
Como é tradição, a segunda-feira da Senhora das Dores é dedicada à feira das sementes, criada por D. João VI, e com a Banda de Música a atuar, também durante todo o dia, nos coretos.
A festa encerra ao meio-dia de terça-feira, 22 de agosto, com uma girândola de fogo de artifício.
Segundo Mário Moreira, presidente da comissão de festas, a ligação entre os parques e a Alameda da Estação far-se-á através de bancadas de artesanato. Haverá praças da alimentação nos dois espaços, assim como divertimentos. O responsável pelas festas abriu a porta a “algumas novidades” que podem surgir, “caso as condições financeiras o permitam”.

Comissão de festas quer superar expectativas na majestosa procissão

Apostada em ter o maior número de figurantes de sempre na majestosa procissão em honra de Nossa Senhora das Dores, a comissão de festas garantiu que os dez andores gigantes saem à rua, na tarde de domingo. O momento solene arranca às 17h00 a partir da Igreja Matriz de S. Martinho de Bougado, mantendo o trajeto conhecido desde que os parques da cidade foram unidos e requalificados.
Este é o momento mais esperado do programa religioso em honra de Nossa Senhora das Dores, que tem início no dia 13 de agosto, com a procissão de velas, às 21h00, a sair da Igreja Matriz em direção à Capela de Nossa Senhora das Dores, seguindo-se uma missa campal na concha acústica.
O setenário começa no dia 14 e repete-se, diariamente, às 19h30, na Capela, até ao dia 19 de agosto, terminando no sábado, dia 20, às 08h30.
No domingo, dia 21, além da procissão, há missa às 08h30, na Capela, e às 11h00, na concha acústica, celebra-se uma eucaristia solene em honra de Nossa Senhora das Dores.
Serão também celebradas missas na segunda e terça-feira, dias 22 e 23, às 08h30.

Continuar a ler...
Publicidade

Edição 771

Memórias e Histórias da Trofa: Estrada Trofa-Vila do Conde

A estrada Trofa-Vila do Conde, ou para ser mais preciso de Santo Tirso a Vila do Conde, é famosa, sobretudo, em tempos de verão, pela saída dos trofenses para estâncias balneares. Em 1882, discuta-se a sua construção.

Publicado

em

Por

A estrada Trofa-Vila do Conde, ou para ser mais preciso de Santo Tirso a Vila do Conde, é famosa, sobretudo, em tempos de verão, pela saída dos trofenses para estâncias balneares. Em 1882, discuta-se a sua construção.
A estrada distrital n.º 9, que ligava as duas cidades, mas iria também estabelecer um ponto de união com a estrada real n.º 3, a atual n.º 14 (Porto-Braga), era considerada urgente para o desenvolvimento do país, a ligação entre várias cidades importantes, alguns dos casos estavam a dar os primeiros passos no seu desenvolvimento industrial, que não podia ser bloqueado pela burocracia.
Perante a afirmação do parágrafo anterior, aquela situação era declarada como interesse público com base na lei da época e acabava o proprietário Manuel Domingues Carneiro por ficar sem uma área considerável de terreno, como também outros proprietários da época iam perder importantes terrenos.
Hintze Ribeiro, importante figura política do século XIX, mais uma vez, proclamava decretos de lei relativamente ao desenvolvimento da Trofa e, sobretudo, para facilitar a construção de obras públicas que, mais uma vez, eram consideradas fundamentais para o desenvolvimento da localidade.
Uma visão com futuro que permitiu construir a rede viária da Trofa, que se manteve em exercício praticamente até ao momento com 140 anos não sofressem nenhuma alteração profunda no seu traçado, apesar de a Trofa ser dos concelhos com mais peso nas exportações nacionais, maior contributo óbvio para o PIB, como também o concelho com umas das maiores dinâmicas demográficas das últimas décadas.
Um século e meio de estagnação, num dos mais importantes setores que alavancam a economia, contribuindo para a construção da marca da Trofa da falta de condições elementares para alimentar e sustentar também o seu desenvolvimento.
Os proprietários ficavam sem centenas de metros quadrados, não tinham muito espaço para contestar até porque a Junta Consultiva de obras Públicas e Minas declarava a utilidade pública e urgente para a realização daquela ligação e daquela obra.
A Trofa ficava com uma ligação por rede rodoviária condigna pelo Vale do Ave e conseguia no seu território ligar essa mesma estrada a outro importante meio de desenvolvimento que era a republicana nacional 14.

Continuar a ler...

Edição 771

Festas de S. Bartolomeu em S. Romão

Publicado

em

Por

S. Romão do Coronado vai estar em festa de 24 a 28 de agosto. A romaria em honra de S. Bartolomeu promete animar a população, com um cartaz cultural recheado de momentos de animação musical.
No primeiro dia, 24 de agosto, a iluminação será ligada com acompanhamento da rusga das concertinas, às 21h30, e na noite seguinte, à mesma hora, sobe ao palco o grupo de música tradicional portuguesa “A Rapaziada”.
A 26 de agosto, a noite é dedicada ao folclore, com atuação dos ranchos folclóricos de S. Romão do Coronado e de S. Pedro de Roriz (Santo Tirso) e do Grupo Folclórico de Danças e Cantares de Modivas (Vila do Conde).
O fim de semana arranca com o som do Grupo de Bombos Santa Maria de Gémeos (Guimarães), que vai percorrer as ruas da freguesia até ao fim da tarde de sábado. Às 22h00, o palco será de João Neto e Leonardo, com música sertaneja. À meia-noite, o céu ilumina-se com fogo de artifício.


A 28 de agosto, há espetáculo musical com a Orquestra Pentágono, às 21h30, e, para encerrar as festividades, mais uma sessão de fogo de artifício.
Do ponto de vista religioso, destaque para as eucaristias de 24 de agosto, às 20h00, e de 28 de agosto, às 10h00. Neste mesmo dia, há procissão em honra de S. Bartolomeu às 16h00.

Continuar a ler...

Edição Papel

Comer sem sair de casa?

Facebook

Farmácia de serviço

 

arquivo

Neste dia foi notícia...

Ver mais...

Covid-19

Pode ler também

} a || (a = document.getElementsByTagName("head")[0] || document.getElementsByTagName("body")[0]); a.parentNode.insertBefore(c, a); })(document, window);