Sede do Grupo Desportivo Covelas foi assaltada por quatro indivíduos encapuzados, que arrombaram uma porta à marretada e levaram duas máquinas de brindes.

“Isto já é sina”. Foi desta forma que José Duarte Silva, presidente do Clube de Caçadores da Trofa, mostrou a sua admiração quando soube que a sede do Grupo Desportivo Covelas tinha sido assaltada, na madrugada de domingo. O café tinha sido o local escolhido para o encontro dos caçadores para a batida à raposa, mas os responsáveis acabaram por alterar os planos quando souberam do furto. “Isto parece uma sina que temos, sempre que vimos a Covelas acontece algo de desagradável”, afirmou.

José Duarte Silva referiu ainda que “o presidente da Junta de Freguesia até disse que, possivelmente, podiam ter sido os mesmos que roubaram as armas” a dois caçadores de Vila do Conde, na semana anterior, durante o almoço-convívio do clube.

Na manhã de domingo, no interior do café, nada apontava que este tinha sido alvo de um furto. No entanto, uma das portas do estabelecimento tinha marcas visíveis do delito. Segundo David Ferreira, presidente da coletividade, “um vizinho viu quatro indivíduos encapuzados num carro Fiat Punto cinzento, com uma marreta”.

Foi através dela que o grupo partiu a porta para aceder ao café e roubar “duas máquinas de brindes, contendo cerca 200 euros”. O mesmo vizinho, quando se apercebeu do assalto, “gritou e afugentou os indivíduos”.

Mas o prejuízo da porta foi maior, porque para a consertar, a direção terá de desembolsar “cerca de 400 euros”, afirmou David Ferreira, que não suspeita de quem possam ser os indivíduos: “Vamos esperar para que seja feita justiça”.

O presidente do Grupo Desportivo Covelas afirmou que esta não é a primeira vez que a sede é assaltada. “Houve outra vez em que também roubaram máquinas de brindes. Por isso, já decidimos que não voltamos a tê-las lá”, afirmou.

Assalto no gasoduto

Também em Covelas, as instalações do gasoduto da REN (Rede Eléctrica Nacional) foram palco de um furto de metal. Esta é já a segunda vez que este tipo de delito é registado. Os funcionários da REN aperceberam-se do furto na tarde de terça-feira, 17 de janeiro. A GNR da Trofa tomou conta da ocorrência.

 {fcomment}