A sede da Associação Recreativa de S. Pedro da Maganha foi inaugurada em ambiente de “grande alegria”. Direção afirmou que objetivo está cumprido, mas falta “pagar o que se deve”.

À frente do novo edifício da sede da Associação Recreativa S. Pedro da Maganha, sita na Rua da Aldeia Nova, reside uma oliveira, com 13 anos, os mesmos que a coletividade leva de existência. A árvore pretende simbolizar a associação e todos os anos que terá pela frente e que a direção espera que seja de prosperidade.

No domingo, sete anos após o lançamento da primeira pedra, inaugurou-se a sede da associação, numa cerimónia simples, mas carregada de simbolismo para os responsáveis. O presidente António Castro não escondeu a satisfação por ver a obra – alvo de uma candidatura a fundos do Estado – “concluída dentro do prazo e do orçamento previstos”. “Treze anos passaram desde a fundação da associação e depois dos mais variados contratempos conseguimos ter a casa nova. Hoje é um dia de grande alegria. Este é um espaço que, a partir de hoje, estará à disposição dos sócios e da população. Um espaço de cultura e convívio, que também poderá ser utilizado pela Junta de Freguesia, pela Câmara, pela paróquia ou por qualquer grupo ou empresa”, afirmou.

Mas se uma etapa está concluída, outras se seguem. O presidente da coletividade apontou a necessidade de agora se liquidar “cerca de 40 mil euros de dívida” decorrentes da empreitada que, na totalidade, “ultrapassou os cem mil euros”. Apesar de ainda faltar colocar mobiliário no interior do edifício, para o tornar funcional, António Castro foi perentório: “Primeiro, vamos procurar pagar a quem devemos”. As atividades de angariação de fundos vão, portanto, continuar a ser realizadas. “Da mesma forma que pagamos o terreno para a sede, iremos pagar a obra”, assinalou.

António Castro agradeceu “a todos os que ajudaram” para a concretização do projeto, quer na “oferta de materiais como de donativos”. “Em breve, iremos agendar um dia dedicado a todos quantos colaboraram connosco”, anunciou.

Festas de 26 a 29 de junho

Entretanto, as festas em honra a S. Pedro da Maganha começam esta sexta-feira, 26 de junho. A noite reserva uma atuação do grupo de danças urbanas “Moveloudance” e uma mega-aula de zumba, pelas 21 horas. No dia seguinte, as marchas populares são o principal chamariz e começam a atuar às 21 horas, no Souto de Bairros, e seguem em desfile até junto da estátua de S. Pedro, na Avenida da Maganha. O palco estará a cargo do grupo “A Rapaziada”, que dará ao público música tradicional portuguesa antes e depois da atuação das marchas. À meia-noite, o céu será iluminado com uma grande sessão de fogo de artifício.

No domingo, realiza-se uma missa solene em honra de S. Pedro, na capela de Nossa Senhora do Desterro, em Bairros, pelas 11 horas, e a atuação do Grupo de Danças e Cantares de Santiago de Bougado e do Rancho das Lavradeiras da Trofa.