Nuno Vieira e Brito já é visita repetente na Feira Anual. Pela terceira vez na Trofa, por altura do evento, o secretário de Estado da Alimentação e Investigação Agroalimentar presidiu a inauguração do certame, na manhã de sexta-feira, e mostrou-se “agradado” pela “organização” e pelo sentimento de “otimismo” que sentiu junto dos agricultores e expositores. “Fiquei particularmente satisfeito por os expositores, nomeadamente na exposição dos animais, me dizerem que em muitas áreas estavam melhores. É importante saber que as pessoas continuam a acreditar no futuro”, enfatizou, sem deixar de garantir que o Governo “está ao lado das suas preocupações”. “Estamos a preparar o próximo Quadro Comunitário, para que o investimento continue. Também estamos a agilizar processos, que vão reduzir a burocracia no setor agrícola e, além disso, a nível dos pequenos produtores temos estado a lançar um conjunto de medidas que são importantes e que ajudam a economia local”, frisou.

Já a vertente equina da Feira Anual é, no entender de Nuno Vieira e Brito, “a marca distintiva” do certame que, “no Norte”, se assumiu como “o mais afirmativo na perspetiva do cavalo”. “Essa distinção traz qualidade, mais gente, um público e animação diferentes É uma aposta ganha, que deve continuar a ser bem vista, bem suportada e conseguirá trazer uma marca muito regional, não estou a falar só do Norte, mas da Galiza”, sublinhou.

O governante também se referiu à presença das crianças durante o dia de sexta-feira, considerando que a participação dos mais novos mostra que esta iniciativa tem capacidade para “atrair novos públicos”. 

Organização faz balanço positivo apesar da chuva

Além de causar constrangimentos na organização, obrigando mesmo a adiar as atividades equestres da Feira Anual, a chuva também afastou o público que costuma “entupir” todos os corredores do recinto.

Mesmo assim, os executivos da Junta de Freguesia de Bougado (S. Martinho e Santiago de Bougado) e da Câmara Municipal da Trofa fizeram um “balanço positivo” do evento.

“Foi uma prova superada. O que eu acho é que nos dedicamos demais ao trabalho e menos à oração a S. Pedro. O balanço é positivo dentro das condicionantes do tempo, que não permitiu que as pessoas não usufruíssem de tudo o que fizemos, mas a feira é nesta data e tem que continuar a ser, porque é tradição”, sublinhou.

Luís Paulo já só pensa “no próximo fim de semana” para que tudo corra pelo melhor nas atividades equestres. De acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, o cenário é bem mais animador para 7, 8 e 9 de março. Temperaturas máximas a rondar os 20 graus e sem aguaceiros.

Sérgio Humberto, presidente da Câmara Municipal, destacou o sucesso das novidades introduzidas, como a mudança de local dos restaurantes e a introdução de uma tenda de espetáculos para a juventude. “Esteve cheia tanto na sexta-feira como no sábado à noite. Foi uma prova, claramente, ganha e é para continuar a apostar”, afirmou.

O autarca afirmou que é importante “engrandecer a Feira”, garantindo que “no futuro haverá mais novidades”, sem nunca “perder a tradição”.