O Porto voltou a assistir a mais um excelente concerto no Hard Club e desta vez a culpa foi das Savages de Jehnny Beth, Gemma Thompson, Ayse Hassan e Fay Milton. Na lotada sala do Hard Club, o quarteto londrino, liderado pela francesa Jehnny Beth, tomou de assalto o espaço com o seu irresistível pós-punk, e não abrandou o ritmo durante toda a atuação. A audiência delirou, dançou, saltou, pulou, esteve de braços no ar e berrou. A sonoridade da banda, crua e arrepiante, apela ao emocional e chega a ser física de tão intensa que é. É um lugar comum dizer que o controlo que as quatro artistas mostram em palco transmite uma força e uma energia que é usada como catalisador pelo próprio público, que entusiasticamente se rende à banda e assim alimenta mais a performance do grupo. Como num circuito viciado. Mas no bom sentido.

 As Savages apresentaram-se em palco vestidas de negro e com pouca luz à sua volta, criando um ambiente de suspense para apresentar Silence Yourself, o disco de estreia que tem sido excelentemente recebido por crítica e fãs, e que foi a base do concerto. Beth tem uma voz enorme, com um alcance fabuloso, e é senhora de uma postura forte, cheia de garra, a roçar o sexy sem o querer ser. Os olhares em palco focam-se nela e em Fay, a baterista que descarrega rios de energia em cada gesto.

Ouviram-se I am Here, Strife, City’s Full, Shut Up, Waiting for a Sun, She Will, Husbands e Hit do álbum estreia. Pelo meio ficou ainda uma cover de Dream Baby Dream dos americanos Suicide. O concerto acabou em euforia com a nova música Fuckers, que teve uma entusiasmada aderência.

Lideradas pela francesa Jehnny Beth, as Savages foram indiscutivelmente uma das melhores surpresas na cena musical de 2013. A reputação da banda começa a crescer, sendo constantemente rotuladas como banda sensação do ano que passou, e como promessas dos anos que se seguem. As Savages tinham-se estreado em território nacional na edição de 2013 do Optimus Primavera Sound, tendo regressado para a atuação em Lisboa no âmbito do Vodafone Mexefest. Apesar do pouco tempo de existência, a banda já conta com duas nomeações nos importantes prémios BBC Sound 2013, para o prémio “Sound of 2013”, e nos Mercury Prize 2013, com a nomeação “Barclaycard Mercury Prize”.

Os irmãos australianos Adam e Sam Sherry, do projecto A Dead Forest Index trouxeram o seu EP Antique até ao Porto. O público pareceu animar-se com o duo minimalista, e com as ondas vocais que irrompiam de um pulsar rítmico da guitarra e da percursão. Estiveram bem no aquecer dos ânimos para a recepção às Savages.

Texto: Joana Teixeira
Fotos: Miguel Pereira

Fotogaleria (clica nas imagens para aumentar){phocagallery view=category|categoryid=40}