Assembleia aprova Plano Plurianual de Investimentos para 2009

O plano de investimento previsto para 2009 para Santiago de Bougado foi elaborado com verbas provenientes de três entidades, sendo a maior parcela da Junta de Freguesia, com 595 mil euros, outra da Câmara Municipal, de mais de 260 mil euros e a menor do Estado, de cerca de 92 mil euros.

A Assembleia de Freguesia de Santiago de Bougado aprovou por unanimidade, esta terça-feira, o orçamento do Plano Plurianual de Investimentos para 2009, que contará com uma receita superior a 950 mil euros. Essa verba será utilizada, fundamentalmente, para fazer uma das obras mais importantes do mandato de António Azevedo, o Centro Cívico de Santiago de Bougado. O PPI prevê ainda a instalação de equipamentos para as águas pluviais na Rua de Santiago, intervenção também prevista no PPI da Câmara Municipal da Trofa e a pavimentação de algumas ruas para concluir o objectivo de “acabar com as ruas de terra batida”.

Este plano de investimento foi elaborado com verbas provenientes de três entidades, sendo a maior parcela da Junta de Freguesia, com 595 mil euros, outra da Câmara Municipal, de mais de 260 mil euros e a menor do Estado, de cerca de 92 mil euros. A verba que a Junta de Freguesia emprega neste investimento corresponde a seis vezes do que a atribuída pelo governo e vai contribuir para que o executivo desenvolva a sua actividade, com especial atenção para a construção da capela mortuária e o centro comunitário, pois do total do investimento, 765 mil euros serão aplicados em despesas de capital, enquanto que o restante, cerca de 19,5 por cento, incidirá em despesas correntes.

Antes da aprovação por unanimidade, o Partido Socialista, por intermédio de Jerónimo Torres, questionou o presidente sobre algumas despesas previstas para o próximo ano, relacionadas com prémios e publicidade, já que o valor é superior ao aplicado no ano passado. António Azevedo justificou com o facto de na freguesia se fazerem”cada vez mais actividades, como o Concurso do Melão e a Festa da Cerveja”. Sobre a publicidade, o edil relembrou que “agora no concelho existem três órgãos de comunicação social”, e que o valor é aplicado “em anúncios nos jornais, como editais” e no futuro boletim informativo da freguesia, “dando cumprimento às pretensões de executivos anteriores”.

Na Assembleia foi ainda aprovada, por unanimidade, a proposta de autorização para a execução orçamental para 2009, que prevê a contratação de um empréstimo a curto prazo, para suprir dificuldades de tesouraria, a aceitação da prática de actos na competência da Câmara Municipal da Trofa, delegados na Junta de Freguesia e ainda a autorização para o executivo assumir compromissos de que resultem encargos financeiros repartidos, por vários anos económicos.

Na apresentação da actividade da freguesia, António Azevedo anunciou a construção do Pólo II do Centro de Saúde da Trofa, em Santiago de Bougado, cuja localização não está definida. No entanto, o edil assegurou que esta infraestrutura, orçada em cerca de um milhão de euros, deverá ser instalada “no triângulo entre a Samugueira, Cruz das Almas e Moinhos da Lagoa”, para ir de encontro à pretensão do Ministério da Saúde “de estar perto da EN 14 ou 104”.

Depois de defender que o novo pólo do Centro de Saúde “deverá ficar o mais central possível”, Jerónimo Torres questionou o presidente da Junta sobre a construção da nova Escola Básica Integrada, no lugar da Lagoa. António Azevedo explicou que, como membro do Conselho Municipal de Educação, elaborou uma carta educativa que prevê a construção de uma escola que acolha os alunos do ensino primário da Lagoa e Cedões e os alunos do básico, até ao nono ano de escolaridade.

O membro do Partido Socialista solicitou ainda ao edil “mais clareza” na informação sobre actividade do executivo, já que “por exemplo na Rua de Santiago, o presidente afirmou que aí foi feita a requalificação, mas na verdade apenas foram intervencionados cerca de 300 metros e rua tem cerca de um quilómetro. Há a necessidade de ser mais preciso, porque nas actas ficarão registadas incongruências”. António Azevedo esclareceu o socialista que “em actas não fica registado que as ruas são requalificadas na totalidade” e que “é sempre mostrado, através de fotografias, as partes em que as ruas são intervencionadas”.

Ao apelo de Jerónimo Torres para que o executivo exerça pressão junto da Câmara para a repavimentação das ruas que sofreram obras para a instalação de saneamento e abastecimento de água, António Azevedo confirmou a tomada de posição nesse sentido e anunciou que a Junta já está a requalificar algumas ruas, “mesmo não sendo da sua competência”.

A oposição alertou ainda para a “falta de sinalização junto da escola de Cedões” junto da passadeira, assim como junto das lombas na Rua de Santiago e sublinhou a necessidade de decretar apenas um sentido nas ruas paralelas junto ao Café Cruzeiro, na Lagoa, pois “são muito estreitas”.

António Azevedo informou que “já foi solicitada à Câmara Municipal a sinalização para colocar na passadeira junto à escola” e adiantou que “está previsto que a Rua do Cruzeiro tenha um só sentido”, mas esta medida “está dependente do regulamento municipal”.

O intercâmbio cultural com a Junta de Freguesia de Espinhel foi um ponto frisado por António Azevedo nas actividades desenvolvidas pelo executivo, assim como a participação na Estafeta da União e no Torneio Inter-freguesias, iniciativas relacionadas com o décimo aniversário do concelho.