As festas em honra de S. Pantaleão e S. Cristóvão, no Muro, começaram a ser preparadas o ano passado para que entre os dias 25 e 31 de julho nada falhe.

S. Pantaleão é invocado contra a tuberculose e é um dos padroeiros dos médicos. No lugar de Matos (Muro), celebra-se no dia 27 de julho, aproximadamente desde os anos 1600, uma festa em honra a este santo nascido na Nicomédia de Bitínia (atual Turquia). À conversa com o NT, estiveram José Torres e Gil Oliveira, que revelam ser cada vez “mais difícil” estar à frente da Comissão de Festas e que a “perspetiva é a festa acabar”.

Integram a organização das festas “há seis anos” e, cada vez mais, sentem que estas podem acabar: “Os jovens agora não querem trabalho, querem borga”. A missão de organizar a festa tem sido árdua e ocupa-lhes, contabilizando, cerca de “60 dias de trabalho para a fazer, arranjar patrocínios, entre outros”. Por vezes, deixam “de fazer algumas coisas” da vida profissional e familiar.

A contribuição monetária dos habitantes “já foi melhor”. Recordam que “há lugares que pertencem a Alvarelhos, mas que estão encostados ao Muro” e mesmo que os habitantes dessa zona visitem com frequência o Muro quando lá vão “bater à porta para pedir para a comissão de festas” dizem que têm que dar para Alvarelhos, porque não são do Muro”. Com isto: “É sempre mais difícil porque cada vez as pessoas dão menos. Em 2008, recebia-se uma média de 20 mil euros com patrocínios e peditórios e agora anda na ordem dos 17 mil euros. O que dá mais dinheiro são os patrocínios”, recordam. Garantem que grande parte desse dinheiro não vem da freguesia. José Torres adianta: “Consegui trazer dinheiro de Montalegre, de Viseu, de Rio Tinto, empresas que não costumavam dar e deram”. Mas nem tudo são más notícias. Os dois elementos mostram-se admirados com os “donativos de pessoas que não contavam” que dessem.

A “preparar a festa desde setembro do ano passado”, a Comissão diz-se esperançada para “a noitada de sábado” pois esperam ter “bastante gente”. Esta noite contará com as atuações do grupo musical Os Boeings (21.30 horas) e da cantora Nikita (22.30 horas). Às 23.30 horas dá-se início a uma sessão de fogo de jardim e de artifício. No domingo, dia 31, a procissão em honra de S. Pantaleão percorre, às 17 horas, a zona envolvente à capela de S. Pantaleão.

João Martins

{fcomment}