Plano de atividades e orçamento, para o próximo ano, estiveram no centro de discussão. O cemitério e o processo de substituição dos antigos membros, da Junta e da Assembleia voltaram a ser motivo de discórdia entre PS e PSD.

No primeiro ponto do período antes do dia, José Ferreira, presidente da Junta, informou os presentes quanto às atividades mais importantes realizadas pela Junta.

A segunda festa de Natal foi um dos temas apresentados, pois, na opinião do presidente, foi uma boa forma de angariar dinheiro para continuar a prestar apoio às pessoas mais carenciadas. Modesto Torres, membro da bancada social-democrata (PSD), questionou o presidente de Junta relativamente à reunião que teve com a presidente de Câmara, onde foi informado da redução de cerca de 40 por cento do valor do protocolo na delegação de competências.

Modesto Torres queria saber se esta redução “tem a ver com os montantes que são adstritos para as despesas correntes ou para as despesas de capital” e qual seria “a posição do presidente da Junta de S. Mamede do Coronado relativamente a este corte, pois até hoje das poucas obras que foram feitas nesta freguesia, não tem nenhuma obra municipal”. O social-democrata relembrou que a Câmara apenas disponibilizou um subsídio de três mil euros para a obra da Rua António Aleixo.

Outro dos pontos questionados pelo social-democrata foi sobre o início do projeto para a nova casa mortuária, sobre a qual o membro disse ter “sérias dúvidas” que o projeto tenha algum avanço.

Leia a reportagem alargada na edição desta semana d’ O Notícias da Trofa. 

{fcomment}