Junta de S. Mamede criou o Banco Local de Voluntariado para envolver a população nas atividades da freguesia.

A Junta de Freguesia de S. Mamede do Coronado quer envolver a população nas ações e eventos realizados para “enriquecer” os projetos envolvidos e colmatar a falta de recursos humanos à disposição do executivo. Por isso, lançou o Banco Local de Voluntariado, que convida a comunidade, especialmente a mamedense, a participar nas iniciativas realizadas, sejam elas de cariz social, cultural, recreativo ou desportivo.

“A Junta de Freguesia, por si só, não tem capacidade nem meios humanos para a realização dessas iniciativas e daí a necessidade de criar este Banco Local de Voluntariado para que a população se voluntarie para colaborar, dar as suas ideias e ajudar a realizar essas iniciativas”, explicou ao NT José Ferreira, presidente do executivo mamedense. O autarca sabe que, “por norma”, são “os mais jovens que se voluntariam” mais facilmente, dada a “sua irreverência” e, às vezes, “porque têm alguma formação académica e estão desempregados, tendo disponibilidade para apresentar as suas ideias e porem em prática muito da aprendizagem que tiveram”. “A Junta dá-lhes oportunidade de enriquecer o seu currículo”, sublinhou. 

No entanto, salvaguarda, o Banco de Voluntariado quer ter pessoas de todas as idades e com experiências de vida diversificadas. José Ferreira quer dar continuidade ao “S. Mamede ComVida”, mas para isso “precisa do voluntarismo de muita gente”. E mesmo para conseguir realizar um evento desta natureza, que acarreta muitos custos, será necessário desenvolver outras atividades que recolham fundos. Uma delas é uma maratona de BTT, evento “pioneiro” na freguesia, que “envolve muita gente na organização dada a sua envergadura”.

Outro dos projetos que o executivo quer criar é “uma loja de cariz social”:  “A Junta de Freguesia tem recebido e recolhido muitas ofertas de roupa, alimentos, brinquedos e livros e queremos ter um espaço concreto e físico para que as pessoas carenciadas da freguesia possam aí recorrer para serem atendidas, mediante aquilo que necessitam. Para isso, precisamos de voluntários para colaborar, atender as pessoas e fazer o levantamento de campo das necessidades das famílias”. José Ferreira quer ainda “dinamizar o comércio local”, com “a criação de um cartão para os habitantes recenseados na freguesia que os incentivem a comprar no comércio local”.

Um dos projetos mais significativos da Junta de Freguesia é “requerer o estatuto de Capital da Arte Sacra”, que está ligada à história de S. Mamede, e com ele “criar um roteiro” turístico, no qual as pessoas podem “conhecer os santeiros e as casas que ainda existem e até ver como são feitos os trabalhos”. Os projetos são ambiciosos, por isso, José Ferreira apela a toda a população que se envolva e contribua com a sua colaboração e ideias: “Esta é uma forma de a Junta se abrir à comunidade, para que ela participe ativamente em prol da freguesia”. 

Os interessados podem inscrever-se a partir da rede social “Facebook” (procure por ‘banco local voluntariado’), descarregando a ficha de inscrição, ou então a partir do email bancolocalvoluntariado@gmail.com ou pode deslocar-se à sede da Junta de Freguesia.

 {fcomment}