Rui Pedro Silva à esquerda na imagem

 Rui Pedro Silva foi o melhor português na Taça da Europa de 10 mil metros, na Ribeira Brava, Madeira, e conseguiu os mínimos A para os Mundiais de Berlim 2009, com um recorde pessoal. O atleta da Trofa foi segundo classificado com 28.01,63 minutos, ficando a quatro segundos do primeiro lugar conquistado pelo espanhol “Chema” Martinez.

O queniano Joseph Kiplimo foi a “lebre” da prova, puxando pelos atletas europeus até cerca de metade da corrida, altura em que Rui Pedro Silva passou à condição de líder.

A duas voltas do final da prova, o atleta luso acabaria por ser ultrapassado pelo espanhol José Manuel Martinez, mas a conseguir o seu melhor resultado na especialidade, depois dos 28.05,78 minutos do ano passado em Vigo, que lhe permitiram ir aos Jogos Olímpicos.

Em declarações à imprensa e relativamente ao recorde pessoal, Rui Pedro Silva afirmou que “não o contava obter, porque não estava a treinar para isto”.

Ainda surpreendido com a sua prestação, o atleta revelou que era um resultado com que “no íntimo contava”, só que fisicamente “não se sentia bem para lá chegar”.

O atleta ainda não sabe se vai participar nos mundiais, visto não ter sido um dos seus objectivos, perspectivando uma preparação mais afincada para participar na maratona dos europeus do próximo ano.

Satisfeito com a conquista da Taça da Europa de 10 mil metros, o seleccionador nacional João Campos realçou a prestação de Rui Pedro Silva, atleta que “na primeira prova da época em pista bate o seu recorde pessoal e fica muito próximo da barreira dos 28 minutos”.

O quarto triunfo de Portugal na Taça da Europa de 10 mil metros foi assegurado com o terceiro lugar de José Rocha (28.15,44 minutos) e pela décima posição de José Ramos (28.47,49 minutos), deixando a Rússia e a Espanha nos segundo e terceiro lugares, respectivamente.